Portugal coloca 1.500 milhões em dívida com juros em mínimos

Procura atingiu 1,64 vezes o montante colocado em Bilhetes de Tesouro a 12 meses, e 1,94 vezes em BT a seis meses. As taxas de juro médias de hoje foram mínimos de sempre

Foto
Cristina Casalinho, presidente do IGCP - Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública Nuno Ferreira Santos

Portugal colocou hoje 1.500 milhões de euros, montante máximo anunciado, em Bilhetes do Tesouro (BT) a seis e 12 meses, a juros negativos e a caírem para mínimos de sempre nos dois prazos, foi anunciado.

Segundo a página da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) na agência Bloomberg, a 12 meses foram colocados 1.000 milhões de euros em BT à taxa de juro média de -0,431%, de novo negativa e inferior à registada em 15 de Maio, quando também foram colocados 1.000 milhões de euros à taxa de juro média de -0,370%.

A seis meses foram colocados hoje 500 milhões de euros em BT à taxa média de -0,454%, mais negativa do que a verificada em 15 de Maio, quando foram colocados igualmente 500 milhões de euros a -0,396%.

A procura atingiu 1.635 milhões de euros para os BT a 12 meses, 1,64 vezes superior ao montante colocado, e 972 milhões de euros para os BT a seis meses, 1,94 vezes o montante colocado.

As taxas de juro médias de hoje foram mínimos de sempre, já que os anteriores tinham sido verificados em 17 de Janeiro de 2018, quando as taxas de juro médias dos BT a seis e a 12 meses caíram até -0,425% e -0,398%, respectivamente.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) tinha anunciado para hoje dois leilões de BT com maturidades em 17 de Janeiro de 2020 (seis meses) e em 17 de Julho de 2020 (12 meses) num montante indicativo global de entre 1.250 milhões e 1.500 milhões de euros.