Reportagem

Solar da Porta dos Figos: sempre a olhar para as janelas da História

Numa das bordas do Castelo de Lamego, o Solar da Porta dos Figos foi objecto de um trabalho de requalificação que o transformou num centro de artes e numa residência artística. António Belém Lima, o arquitecto responsável pelo projecto, diz que a sua preocupação principal foi respeitar a história, e ser amável para com o presente.

Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Arquitecto António Belém Lima Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias
Fotogaleria
Solar da Porta dos Figos, em Lamego Gonçalo Dias

“Estamos aqui e estamos sempre a ver onde nos encontramos, a olhar para a história deste lugar!” António Belém Lima (n. Vila Real, 1951) leva-nos a uma das janelas do Solar da Porta dos Figos, logo junto à entrada norte do Castelo de Lamego. Aí percebemos que aquela constatação é válida em qualquer dos quatros níveis por que se desdobra este edifício histórico para o qual o arquitecto transmontano fez o projecto de restauro e requalificação, entre 2010 e 2015, para a Câmara Municipal de Lamego.