Opinião

Von der Leyen: um erro crasso dos socialistas ibéricos

O argumento definitivo terá sido uma carta que Von der Leyen escreveu aos socialistas europeus prometendo uma série de coisas que já são posição da Comissão ou que ela por si só não pode cumprir.

Já vimos este filme antes, e não acabou bem. Em 1994 os governos da União Europeia estavam com dificuldade em escolher um sucessor para Jacques Delors. Como sempre, queriam alguém que satisfizesse toda a gente e não fizesse sombra a ninguém. Delors, que governara a Comissão durante dez anos, tinha personalidade e isso é que não podia mesmo ser. Depois de excluírem três candidatos mais prováveis, os chefes de Estado e de governo optaram por uma quarta escolha: Jacques Santer, primeiro-ministro do Luxemburgo.