Comentário

Von der Leyen mereceu cada voto que recebeu e mais alguns

Não é admissível que a primeira Comissão presidida por uma mulher não consiga garantir o princípio da paridade. É uma exigência para ela. É um dever para os governos.

Há um velho ditado que diz que a igualdade de género só será atingida no dia em que uma mulher incompetente for escolhida para um alto cargo político. Ainda não é o caso de Ursula von der Leyen, que é manifestamente uma mulher competente, como o atesta a sua longa carreira profissional e política e como ficou comprovado ontem, durante o debate no Parlamento Europeu que conduziu à sua investidura. Já houve, pelo contrário, presidentes da Comissão Europeia manifestamente incompetentes para o cargo. Primeira conclusão: a Europa acaba de fazer uma escolha duplamente acertada.