Fenprof indignada com tópico nas palavras cruzadas do Expresso

Tópico dizia: “Ensinam quando não fazem greve”. Solução era: “Professores”.

Federação Nacional dos Professores
Foto
Rui Gaudencio

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) manifestou-se nesta segunda-feira “indignada” com um tópico nas palavras cruzadas do semanário Expresso, que considera que “ataca a dignidade dos docentes”.

Na edição do passado sábado do jornal, no primeiro tópico das suas palavras cruzadas, é inscrita a expressão “Ensinam quando não estão em greve”. A resposta ao tópico era “professores”

Numa nota enviada à comunicação social, a Fenprof considera este facto “uma enorme falta de respeito para com os docentes e a Escola portuguesa”.

A Fenprof, “fazendo eco e associando-se à indignação manifestada por muitos e muitos docentes”, diz não poder “deixar de exigir, veementemente, um pedido de desculpas aos professores portugueses, pois estes são profissionais que colocam o melhor de si na sua actividade profissional, com rigor, exigência e resultados que não podem deixar de ser valorizados”.

“Com aquela expressão das palavras cruzadas do Expresso, pretende-se, inegavelmente, transmitir a ideia de que os professores estão sempre em greve, ficando as sobras para ensinar.”, acrescenta

A nota conclui que os docentes, “quando fazem greve, quando lutam pela valorização do seu trabalho e da sua condição profissional, também ensinam, dando importantes lições de cidadania”.