Torne-se perito

Voem menos, viajem mais de comboio. O conselho é da companhia aérea KLM

Companhia holandesa lançou campanha para um “futuro mais sustentável da aviação” onde até se sugere que o comboio e “outros meios de transporte” podem ser mais indicados para algumas viagens do que o avião.

Boeing C-32
Foto
KLM pede que as pessoas viajem menos de avião e mais de comboio Unsplash

A KLM tem uma mensagem pouco comum para os seus clientes. A companhia aérea holandesa, que integra o grupo Air France-KLM, propõe que os passageiros façam um esforço e que viajem menos de avião e mais de comboio. Para além disso, incentiva a substituir reuniões presenciais, que obrigam a deslocações, por chamadas de vídeo. As ideias surgem na campanha comemorativa do 100º aniversário da empresa, tendo como intuito a criação de um futuro mais sustentável, nomeadamente para o sector da aviação.

A companhia, considerada uma das “mais eficientes do mundo” pelo Conselho Internacional de Transporte Limpo, é defensora de modelos alternativos sustentáveis ​​de transporte para curtas distâncias. Neste sentido, a campanha que realizou – intitulada “Voar com responsabilidade” – pergunta aos clientes: “Tem sempre de se encontrar pessoalmente?” ou “pode apanhar o comboio [em vez de um avião]?.

KLM: Viajem com responsabilidade

Esta ideia surge na campanha comemorativa do 100º aniversário da empresa

A companhia aérea, que garante ter por mote querer “fazer negócios de maneira mais sustentável”, reconhece que a mudança com mais impacto passa pelo uso de combustível mais ecológico. No seu site informa que fez o seu primeiro voo com “combustível sustentável” em 2009 e que continua a trabalhar no tema. “A produção de combustível sustentável está ainda longe das necessidades”, sublinham, realçando que se preparam para abrir a primeira fábrica de produção de biocombustível na Holanda – operará através da transformação de materiais como “óleos alimentares usados e de outros resíduos de indústrias da região do Benelux” (Bélgica, Holanda, Luxemburgo).

Por outro lado, sublinha o The Guardian, a KLM garantiu que não estava em causa parar de promover os seus voos: “somos uma companhia que precisa de ter lucro para sobreviver e continuar a investir em soluções sustentáveis”, refere-se. “Mas estamos a progredir rumo a um futuro mais ecológico e queremos estar por perto quando tivermos sucesso nos nossos esforços”.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) demonstrou o seu apoio à campanha da KLM, com Rafael Schvartzman, vice-presidente para a Europa, a afirmar estar de acordo com a iniciativa porque “existem alternativas” mais sustentáveis que podem ser utilizadas.

Na campanha, além de sugerir o comboio e outros transportes como melhor opção para algumas viagens, a KLM também propõe aos passageiros participarem no programa de compensação das emissões de carbono do voo ou voar com menos bagagem. Para as empresas, sugere igualmente as compensações por emissão de CO2 e a participação no programa de biocombustível da companhia. 

Recentemente, a KLM anunciou outra iniciativa para revolucionar a aviação: o apoio ao projecto Flying-V, um avião que promete ser mais sustentável e que impressiona pelo seu design em forma de V, lembrando uma célebre guitarra eléctrica.

Artigo editado por Luís J. Santos