Opinião

José Pacheco Pereira

Se escrevo um texto sobre o Manel ou sobre a Maria, sempre me pareceu lógico colocar no título o nome do Manel ou da Maria. Por exemplo, se escrevo sobre José Pacheco Pereira, parece-me bem escrever no título “José Pacheco Pereira”.

Há uma semana, José Pacheco Pereira dedicou um dos seus textos às várias “maneiras de reconhecer um populista português moderno”. Era um artigo em 15 pontos, e lá pelo meio havia um ou outro ponto em que parecia, de facto, que Pacheco Pereira estava mesmo a falar de mim, como notaram alguns leitores. Digo “parecia” porque Pacheco acredita, no seu íntimo, que citar o meu nome seria descer abaixo de um patamar mínimo de dignidade intelectual, do qual não abdica. E faz muito bem.