DR
Foto
DR

Indústria musical declara emergência climática

Manifesto do movimento Music Declares Emergency conta com 500 assinaturas de artistas, editoras e empresas. Entre eles estão bandas como Radiohead e Pretenders e editoras como Warner e Universal.

Os Radiohead e editoras como Warner, Universal e Sony Music do Reino Unido estão entre os promotores do movimento climático Music Declares Emergency (MDE), lançado esta sexta-feira por artistas, empresas e profissionais da indústria musical.

O manifesto MDE ("Música Declara Estado de Emergência”, em tradução livre), que conta já com 500 assinaturas, é composto por “um grupo de artistas, profissionais da indústria musical e organizações que se unem para declarar emergência climática e ecológica e alertar para uma resposta imediata, por parte dos governos, para a protecção da vida na Terra”, lê-se na página oficial da campanha.

Editoras e organizações como a Matador, Beggars Group, Festival Republic, Opera North e músicos como Pretenders, Bonobo, Nadine Shah e Imelda May já assinaram a declaração. Entre os subscritores está também a agência Red Orange, do português Miguel Santos, radicado em Londres, antigo director do Atlantic Waves Festival, na capital britânica, e do projecto Exploratory Music from Portugal.

“Acreditamos no poder da música para promover uma necessária mudança cultural de criação de um futuro melhor”, pode ler-se no manifesto. Na declaração, o MDE pede “aos governos e às instituições mediáticas que reconheçam a emergência climática e ecológica e que actuem rapidamente nas questões da perda de biodiversidade e das emissões de gases de efeito de estufa, até 2030”.

Os subscritores do manifesto reconhecem que “o estado de emergência do clima surgiu de injustiças globais e que as práticas da indústria musical têm impacto no meio ambiente”, prometendo “tomar medidas urgentes”.

O MDE “representa todas as áreas da indústria musical, independentemente do género, papel social, etnia ou orientação sexual”. Inspirada nos movimentos pelo clima Extinction Rebellion e Julie’s Bicycle, que têm actuado a nível mundial, a campanha declara operar “de forma independente na tomada de decisões”. “A música, os músicos e as empresas de música, através do seu inigualável poder cultural e económico, podem liderar o caminho de alerta para as mudanças sistemáticas para assegurar a vida na Terra”.

O site explica todas as acções, de voluntariado, possíveis de realizar consoante o papel de cada um: artista, marca, editor, estúdio, festival, promotor de espectáculos musicais ou agente. O grupo britânico Radiohead já havia demonstrado interesse pelas questões climáticas, ao reverter para a Extinction Rebellion, as receitas de venda de material de estúdio inédito, lançado em Junho, depois de ter sido pirateado.