DGArtes vai apoiar o desenvolvimento de 26 projectos portugueses em 22 países

Artes performativas, artes visuais e cruzamento disciplinar são as áreas contempladas com um orçamento de 260 mil euros, para o período que vai de 1 de Setembro próximo até 31 de Agosto de 2020.

Foto
Lara Jacinto

Vinte e seis projectos portugueses vão receber apoio financeiro da Direcção-Geral das Artes (DGArtes) para se apresentarem em 22 países, no âmbito do concurso de apoio à internacionalização das artes 2019, cujos resultados finais foram divulgados esta sexta-feira por aquele organismo.

Este programa destina-se ao desenvolvimento e circulação internacional de obras e projectos portugueses em diversas áreas artísticas, como as artes performativas (circo contemporâneo e artes de rua, dança, música e teatro), as artes visuais (arquitectura, design, fotografia, artes plásticas e novos media) e o cruzamento disciplinar.

Foram apresentadas e admitidas a concurso 49 candidaturas, das quais dez foram consideradas “não elegíveis”. Das restantes 39 “elegíveis”, só 26 obtiveram financiamento, segundo o comunicado divulgado pela DGArtes.

Para estes projectos está definido um valor global de financiamento de 260 mil euros – 200 mil para este ano e 60 mil para 2020 –, que serão distribuídos pelas seguintes áreas artísticas: nove no teatro, cinco na dança, quatro na música, quatro nas artes plásticas, três em cruzamento disciplinar e um no circo contemporâneo e artes de rua.

“Os projectos envolvem actividades como espectáculos, exposições, concertos, performances, instalações e residências artísticas, assim como conferências, workshops e ensaios abertos, enquanto iniciativas complementares”, acrescenta a nota.

Estes projectos vão ser desenvolvidos em 22 países, circulando, em alguns casos, entre diversos países e, noutros, em várias cidades de um único país. Os países abrangidos são Alemanha, Argentina, Brasil, Cabo Verde, Canadá, Chile, Congo, Coreia do Sul, Reino Unido, Espanha, EUA, França, Grécia, Guiné-Bissau, Moçambique, República Checa, Sérvia, Suécia, Tunísia, Turquia, Ucrânia e Uruguai.

Os projectos serão desenvolvidos entre 1 de Setembro próximo e 31 de Agosto de 2020. As candidaturas ao programa decorreram entre 4 de Março e 4 de Abril deste ano.