“Vice” do PSD de Viseu acredita que Fernando Ruas será o cabeça de lista

A escolha do ex-autarca foi consensual no distrito e foi consensual na representatividade do distrito, de acordo com Rui Ladeira.

Fernando de Carvalho Ruas
Foto
Fernando Ruas Nuno Ferreira Santos

O vice-presidente da distrital do PSD de Viseu Rui Ladeira disse na terça-feira à noite à agência Lusa que acredita que Fernando Ruas está na “primeira linha” para encabeçar a lista dos candidatos às eleições legislativas apresentada à nacional do partido.

“É um autarca, um eurodeputado com grandes pergaminhos com o trabalho que fez ao longo destes anos e se for esse o nome é um grande motivo de satisfação e uma excelente notícia, que nos agrada muito, mas será o senhor presidente, o doutor Rui Rio, que a seu tempo o define”, disse.

Questionado sobre a eventualidade de não ser Fernando Ruas o cabeça de lista e ser outro o nome indicado, Rui Ladeira assumiu que “isso cabe ao líder do partido”, mas não escondeu que o antigo presidente da Câmara de Viseu seria uma “excelente notícia”.

“Tenho a convicção que a vontade e a auscultação que ele [Rui Rio] já fez nos mais diversos domínios e a sua sensibilidade, ele também já foi um excelente autarca e conhece muito bem personalidades de grande envergadura, e na primeira linha está o doutor Fernando Ruas, como sabemos, no distrito de Viseu e, sendo, seria uma excelente notícia”, assumiu Rui Ladeira.

O vice-presidente da distrital do PSD, e presidente da Câmara Municipal de Vouzela, falava à agência Lusa no final de uma reunião com a direcção nacional do partido, para apresentarem a lista de candidatos às próximas eleições legislativas, a 6 de Outubro, que “tem pessoas que representam o norte, o sul e toda a dimensão distrital”.

“É uma proposta representativa para tirar um excelente resultado e para defender o projecto do distrito e que queremos que seja imprimido nos próximos quatro anos, na próxima legislatura, portanto não temos dúvidas de que é para tirar um excelente resultado”, considerou Rui Ladeira.

Rui Ladeira adiantou que a lista hoje apresentada foi trabalhada e validada com as secções e, agora, a expectativa é que “tenha o acolhimento nacional” o que acredita que terá, uma vez que, no seu entender, tem o “equilíbrio do que foram os princípios e as balizas propostas” aos membros da distrital.

“A escolha foi consensual no distrito e foi consensual na representatividade do distrito”, esclareceu o vice-presidente que considerou isso “muito importante” para os responsáveis políticos sentirem “o conforto de poder representar as vontades, com pessoas com muita capacidade e trabalho reconhecido nos diversos domínios”.

“O papel das mulheres é muito significativo no âmbito da importância e representatividade das mulheres e é, não só pelo que está na lei, mas porque também queremos que as mulheres estejam, pelo trabalho que têm feito em todo o distrito”, defendeu quando questionado se havia mulheres em lugares elegíveis.