Fisco vigia testas-de-ferro usados para camuflar fluxos para offshores

Autoridade tributária concentra atenção nos profissionais liberais que actuam “em nome de terceiros”. Acções preventivas colocam na mira advogados ou solicitadores que fazem transferências para paraísos fiscais.

Foto
A Suíça é o principal destino das transferências (3,3 mil milhões de euros em 2018) Ruben Sprich/Reuters

Depois do “apagão fiscal”, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) passou a monitorizar de forma mais fina as declarações enviadas pelos bancos com a lista das principais transferências de dinheiro dos clientes para contas em paraísos fiscais.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários