PJ faz buscas na Câmara de Faro

Vice-presidente da autarquia, a sua mulher e o presidente da empresa municipal Ambifaro são arguidos.

Conselho Distrital de Faro
Foto
Rui Gaudencio

O vice-presidente da Câmara de Faro, Paulo Santos, é o principal visado nas buscas realizadas nesta terça-feira pela Polícia Judiciária no município e na empresa municipal Ambifaro - Gestão de Equipamentos Municipais. Em causa estão suspeitas de “crimes de participação económica em negócio, corrupção passiva e activa, peculato e prevaricação e abuso de poderes”. Além do autarca, foram constituídos arguidos Sandra Ramos (mulher de Paulo Santos) e o presidente do conselho de administração da empresa municipal, que entre outros equipamentos, gere também o mercado municipal

A Policia Judiciária esteve todo o dia na câmara e na Ambifaro, cruzando e solicitando elementos relacionados com a contratação pública. No decorrer das diligências, precisa a autarquia num comunicado divulgado à imprensa, “foram solicitados diversos documentos relativos à actividade da autarquia e da empresa municipal, bem como comunicações electrónicas”. Os elementos, sublinha o gabinete do autarca, “foram prontamente cedidos pelos serviços”. O presidente da câmara, Rogério Bacalhau, encontrava-se ausente, numa reunião em Coimbra. Do conjunto dos dossiers solicitados, apurou o PÚBLICO, nem toda a informação foi ainda obtida. “Não estávamos preparados”, justificaram. Por outro lado, Paulo Santos e Sandra Ramos foram sujeitos a interrogatório dirigido pelos inspectores da PJ.

O vice-presidente da Câmara de Faro é o vereador com mais pelouros na autarquia. Desde a cultura ao desporto, passando pelo gabinete de apoio ao empresário até ao planeamento estratégico, a responsabilidade estende-se a quase todas as áreas do poder local.