Alunos do Instituto Confúcio podem repetir exames de chinês. Provas desapareceram a caminho da China

Na viagem entre o Minho e a China, os cartões com as respostas dos exames desapareceram. Instituto Confúcio ainda não desistiu de encontrar os exames.

Provas de língua chinesa no Instituto Confúcio da Universidade do Minho
Foto
Provas de língua chinesa no Instituto Confúcio da Universidade do Minho ADRIANO MIRANDA

Os alunos que realizaram, a 11 de Maio, os exames oficiais de língua chinesa no Instituto Confúcio da Universidade do Minho vão ter oportunidade de repetir os exames após os cartões de resposta terem desaparecido a caminho da China, onde iriam ser corrigidos.

Algures na viagem entre o Minho e a China (um percurso de 9400 quilómetros), os cartões com as respostas dos Exames Oficiais de Língua Chinesa HSK (Hànyŭ Shǔipíng Kǎoshì) e YCT (Youth Chinese Test) desapareceram, tardando “em chegar ao destino”, confirmou à Rádio Renascença o Instituto Confúcio.

Estão em causa 79 exames. Sendo que 57 eram referentes ao exame HSK e 22 referentes ao YCT. A repetição das provas já está marcada para 21 de Setembro.

“Segundo as regras do Hanban [Gabinete Nacional de Divulgação da Língua Chinesa no Mundo], os cartões de resposta dos alunos devem ser selados num envelope e enviados por correio expresso para o Centro de Exames, em Pequim, para correcção, trabalho que o Instituto Confúcio fez”, explicou o instituto à estação de rádio.

O instituto não avança qual foi a empresa que ficou responsável pelo transporte das mesmas até à China. Porém, num comunicado enviado ao fim da tarde de terça-feira, a Universidade do Minho esclarece que “com base na informação transmitida pela empresa transportadora, os exames chegaram ao território chinês”. O que não existe são os dados exactos sobre a sua localização das provas. “Perante estas informações, o Instituto Confúcio não pode assumir, em definitivo, o extravio destes documentos”, clarifica a instituição.

Os alunos que procuram realizar o exame HSK são, em grande parte, os estudantes da Licenciatura em Estudos Orientais (sendo esta prova um dos requisitos para que obtenham uma bolsa do Governo chinês).

As provas HSK e YCT, promovidas pelo Hanban (Gabinete do Conselho Internacional do Ensino de Chinês), são os únicos exames de habilitação da língua chinesa reconhecidas internacionalmente.