Divisão da PSP transita de Águas Santas para a Maia

O financiamento da construção ficará a cargo da PSP e o terreno será cedido pela Câmara Municipal da Maia.

Motocicleta
Foto
MANUEL ROBERTO / PUBLICO

A Câmara da Maia vai ceder um terreno para a construção da nova esquadra da PSP, a instalar no centro da cidade, no Bairro do Sobreiro, que irá receber a Divisão de Águas Santas, que tutela as esquadras de Ermesinde, Valongo, Maia e Águas Santas. A funcionar actualmente na esquadra da PSP do Alto da Maia, a Divisão será deslocalizada para o futuro edifício da PSP, cujo projecto será financiado por aquela força policial, num terreno cedido em direito de superfície por um período de 50 anos.

O município da Maia e o Ministério da Administração Interna celebraram um protocolo de entendimento com vista à construção da nova esquadra, que foi aprovado há um mês pela assembleia municipal. Esta segunda-feira, o assunto foi discutido naquele órgão, tendo o presidente da Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, referido que a obra tem um custo previsto de dois milhões de euros.

Quem estará a cargo da construção da obra é a Câmara Municipal da Maia, apesar de o financiamento ser suportado pela Polícia de Segurança Pública.

Aproveitando uma intervenção na assembleia, a deputada da CDU, Carla Ribeiro, denunciou a falta de efectivos na esquadra da PSP da Maia, apresentando dados que evidenciam a falta de membros na estrutura local: “actualmente prestam serviço 34 elementos, fazendo com que cada turno funcione com o número mínimo de agentes”. A deputada disse ainda que o facto de se reforçar a patrulha em época de festas “não resolve em definitivo o problema”.

Sugerir correcção