Morreu Arthur Ryan, fundador da Primark

O empresário Irlandês tinha 83 anos e lutou contra uma doença de curta duração. Foi “um dos grandes gigantes do retalho”.

Foto
O fundador da Primark na inauguração de uma loja REUTERS/Javier Barbancho

O fundador e presidente da cadeia de lojas de roupa irlandesa Primark, Arthur Ryan, morreu aos 83 anos, devido a “uma doença de curta duração”, confirmou nesta segunda-feira a empresa, avança a empresa em comunicado.

Fundada em 1969, a Primark — conhecida como Penneys na Irlanda — ganhou popularidade por vender vestuário e acessório a preços baixos e muito competitivos relativamente a outras marcas de retalho, no mesmo segmento, sob o slogan “Amazing Fashion, Amazing Prices” (“moda incrível a preços incríveis”, em português). Hoje a marca tem mais de 370 lojas em 12 países, maioritariamente na Europa, Portugal incluído, mas também nos EUA, e emprega mais de 75 mil pessoas. 

A Portugal chegou em Dezembro de 2009, a Lisboa, e tem actualmente dez lojas espalhadas ainda por Almada, Almancil, Braga, Coimbra, Porto e Portimão. Em Abril deste ano, a empresa inaugurou a sua maior loja de sempre, com cinco andares e quase 15 mil metros quadrados, em Birmingham, no Reino Unido, diz a BBC.

Tudo começou em Dublin, de onde Ryan é natural. O empresário irlandês trabalhava na década de 1960 para a cadeia de retalho Dunnes Stores, quando Garfield Weston — cujos descendentes são accionistas da Associated British Foods — lhe lançou o desafio de começar uma cadeia de lojas de roupa a preços baixos. O empresário financiou o projecto com 50 mil libras, recorda o Guardian.

A primeira loja, em Dublin, mantém ainda o nome original Penneys, que a empresa teve de mudar para entrar no Reino Unido, em 1973, dado que a norte-americana JC Penney já tinha os direitos sobre o nome, aponta ainda o jornal britânico.

Ryan abandonou o cargo de CEO da empresa em 2009, assumindo então a posição de presidente e mantendo sempre uma ligação próxima ao negócio. Fomentou sempre a sua privacidade, recusando-se sempre a dar entrevistas à imprensa.

Contudo, a sua vida pessoal foi notícia em 2015, quando Ryan perdeu o filho Barry, de 51 anos, o neto Barry Davis Ryan, de 21 anos e a namorada deste, Niamh O'Connor, de 20, vítimas de um acidente na costa de Baltimore, na Irlanda. Barry terá saltado para o mar numa tentativa de salvar o filho e a namorada, que tinham sido arrastados por uma onda.

“Arthur era um vendedor dotado e um líder visionário. Tive a sorte de trabalhar de perto com ele e de vivenciar, em primeira mão, a sua mente astuta e o seu pensamento inovador”, declara Paul Marchant, CEO da Primark, num comunicado enviado ao PÚBLICO. “Os directores e colaboradores da empresa, bem como todos aqueles que trabalharam com ele, ao longo dos anos, estão profundamente tristes por esta perda”, continua.

George Weston, CEO da Associated British, afirma, citado no mesmo texto, que Ryan será lembrado como “um dos grandes gigantes do retalho”.