Snowball, a catatua dançante que mostra que a dança não é exclusiva dos humanos

Um estudo publicado esta segunda-feira mostra que a famosa catatua Snowball tem um reportório de 14 passos de dança — e que a prática de dançar não é, portanto, “um produto da cultura humana”.

Cacatua
Foto
Snowball durante um dos seus movimentos de dança

As danças da catatua-de-crista-amarela Snowball tornaram-na famosa há mais de uma década, quando foram divulgados vídeos da ave a dançar ao som de canções dos Backstreet Boys ou de Michael Jackson: abanava a cabeça e batia com a pata consoante o ritmo. Agora, depois de estudarem o comportamento desta catatua, um grupo de cientistas publicou um artigo nesta segunda-feira em que revelam que “dançar ao som da música não é meramente um produto da cultura humana”.

“Ficámos impressionados”, reagiu o professor de psicologia na Universidade Tutfs (em Massachussetts, EUA) e um dos autores do estudo, Aniruddh Patel, citado pelo Guardian. “Há ali certos movimentos, como o passo Madonna Vogue, que é inacreditável”. “O facto de vermos isto num outro animal dá a entender que, ao existir um cérebro com certas capacidades cognitivas e neurológicas, se fica predisposto a dançar”, acrescentou Patel.

Ao todo, foram analisados 14 movimentos diferentes. Os movimentos de dança tornaram-se virais na Internet depois de ter sido divulgado em 2007 um vídeo em que a ave dança ao som de Everybody, da banda Backstreet Boys; mais tarde, dançou também ao som de Michael Jackson. Desde aí, Snowball tornou-se a estrela de um livro infantil e entrou num anúncio da cadeia de restaurantes Taco Bell.

Mas o seu reportório era ainda mais vasto: também as canções Another one bites the dust, dos Queen, ou Girls just wanna have fun, de Cyndi Lauper, faziam a catatua dançar, incluindo movimentos com a cabeça, com a crista e com as patas – e tudo isso ficou registado em vídeo. Quanto ao estilo de dança, há duas possibilidades: “Ou é imitação, que já é sofisticado o suficiente, ou então é mesmo criatividade, o que é incrivelmente interessante”, admite Patel.

Uma parte do estudo mostrou que a catatua Snowball conseguia antecipar a batida das canções, abanando a cabeça consoante o ritmo e batendo as patas em sintonia. Quando se alterava a velocidade da canção – mais rápida ou mais lenta –, também os seus movimentos variavam. Para já, este estudo ajuda a perceber que a dança não é algo exclusivo dos humanos, já que também estas aves têm “movimentos espontâneos de dança extremamente diversos”.

Uma das explicações apresentadas pelo grupo de cientistas – que fazem parte da Universidade Tutfts e da Universidade de San Diego, nos EUA – é que estas aves (incluindo os papagaios que, em termos de classificação, pertencem à mesma ordem das catatuas) emitem sons vocais e que os seus cérebros têm ligações fortes entre as características motoras e auditivas.