Com “um bocadinho de sorte e de saber” se vence a grande regata de moliceiros

Mais de uma dezena de embarcações tradicionais estiveram em competição, ao longo da ria. A vitória coube a Marco Silva, da Torreira

Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Vela
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA

As condições do vento e da maré não facilitaram a vida às tripulações, mas o espectáculo esteve garantido. A grande regata de moliceiros voltou, este sábado, a colorir as águas da ria de Aveiro, mobilizando um total de 13 embarcações. Mais do que uma prova, o evento tem vindo a afirmar-se como uma grande festa merecedora da atenção de imenso público. Este ano, a vitória coube a Marco Silva, de 43 anos, arrais da arte xávega e verdadeiro aficionado por barcos moliceiros, que conseguiu alcançar o ponto de chegada com larga vantagem. O segredo? “Um bocadinho de sorte e de saber”, confessou o marinheiro, que já soma umas quantas vitórias em regatas de moliceiros.