Greve dos mestres da Soflusa cancela 16 ligações no domingo

A greve dos mestres da Soflusa também provocou, neste sábado, a supressão de oito carreiras.

Foto
A greve dos mestres da Soflusa, empresa responsável pelas ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa, provocou este sábado a supressão de oito carreiras Nuno Ferreira Santos

 A greve dos mestres da Soflusa, empresa responsável pelas ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa, provocou este sábado a supressão de oito carreiras, prevendo-se que a partir das 23h30 e até às 7h15 de domingo “sejam canceladas 16 ligações”.

“Hoje, dia 6 de Julho, estavam previstas 15 carreiras entre as 0h00 e as 0h15, tendo sido suprimidas oito (quatro carreiras em cada sentido)”, avançou à Lusa fonte da administração da empresa, assegurando que, além desse horário, não foram registadas supressões no serviço regular.

A partir das 23h30 de sábado até às 7h15 de domingo, a empresa prevê que sejam canceladas 16 ligações, pelo que durante esse período todas as carreiras previstas estão suprimidas.

Assim, a Soflusa assegura que, sábado e domingo, na ligação Barreiro - Terreiro do Paço, a primeira carreira realiza-se às 7h25 e a última carreira às 22h25, enquanto na ligação Terreiro do Paço - Barreiro a primeira carreira está prevista para as 7h55 e a última carreira para as 22h55.

Apesar de antecipar a supressão total das carreiras no horário de madrugada, a Soflusa indicou que, das 60 ligações previstas no horário de domingo, ficam “sujeitos a confirmação” vários horários, como consta da página da empresa.

Os mestres da Soflusa iniciaram este sábado, e até 31 de Dezembro, uma greve ao trabalho extraordinário, por considerarem que as negociações com a empresa sobre a valorização salarial não estão a evoluir.

Este pré-aviso de greve foi marcado pelo Sindicato dos Transportes Fluviais, Costeiros e da Marinha Mercante (STFCMM), que afirma não se estar a registar “evolução significativa” nas negociações com a Soflusa.

Por este motivo, os mestres já se encontravam a recusar o trabalho suplementar, desde 18 de Junho, entrando em greve, exigindo que seja respeitado o acordo celebrado a 31 de Maio, de aumento do prémio de chefia, que dizem ter sido “suspenso”. Contudo, a 21 de Junho, a Soflusa garantiu que estão a decorrer as negociações com os sindicatos e que irá dar “total cumprimento” ao acordo estabelecido com os profissionais.

Na sexta-feira à noite a empresa activou um plano de contingência para assegurar o transporte dos passageiros da ligação fluvial, entre o Barreiro e Lisboa, de forma alternativa, explicando que a última ligação ocorreu às 23h30 devido à falta de mestre.

O plano de contingência consiste na realização de carreiras extra entre o Cais de Sodré e o Seixal, às 0h15, 1h15 e 2h15, sendo depois efectuada a ligação entre o terminal do Seixal e o terminal do Barreiro através de táxi.

O STFCMM entregou um pré-aviso de greve, a todo o trabalho extraordinário, a partir deste sábado, bem como um pré-aviso para greve entre as 0h00 de segunda-feira e as 24h00 horas de quarta-feira.

Devido à greve de três dias agendada para o início da próxima semana, a Soflusa refere que foram decretados serviços mínimos pelo Tribunal Arbitral do Conselho Económico e Social.

Os serviços mínimos consistem em duas carreiras em cada sentido. Entre Barreiro e Lisboa será às 0h30 e 5h05, e no sentido contrário à 1h e à 5h30.

Sugerir correcção