Braço direito de Stanley Ho sócio da empresa sob suspeita

Stanley Ho
Foto
Reuters/PAUL YEUNG

Um dos sócios-gerentes da Poao II - Investimentos imobiliários, empresa promotora do Centro Poao, é Choi Man Hin (que também assina como Man Hin Choi), braço-direito de Stanley Ho em Portugal e presidente do Conselho de Administração da Estoril Sol e presidente da Associação de Comerciantes e Industriais Luso-Chinesa. 

A Poao II está também ligada à imobiliária Imosilveiras que promoveu a construção de vivendas na Herdade do Pinheiro.

Na página da internet do Grupo POAO, lê-se que este “foi fundado em 2011, tendo como principal actividade a criação e desenvolvimento de projectos no sector imobiliário e turístico, numa primeira fase em Portugal e numa segunda fase com intervenção internacional”.

É também referido que a “origem das actividades surge através da empresa POAO II – Investimentos Imobiliários, Lda, com o lançamento do Centro POAO no Porto Alto e já em 2015 a actividade alarga-se com a aquisição a 100% da empresa Imosilveiras SA, detentora de um projecto imobiliário residencial de qualidade PREMIUM em Samora Correia, a Herdade do Pinheiro”.

Choi Man Hin, que também assina como Man Hin Choi, tem como sócios na Poao II, Li Qiang, Changlong Zhu, Yan Tien Kie e Jin Yi.

Segundo apurou o PÚBLICO, a empresa apresentou em 2017 resultados líquidos negativos superiores a quatro milhões de euros quando em 2016 os resultados foram negativos mas de 189 mil euros.

No que diz respeito a processos judiciais, a POAO II foi alvo de um pedido de insolvência em 2017 por parte da empresa Novagente Empreitadas SA. A acção tinha um valor superior a 1,6 milhões de euros.

Em 2018, também deram entrada duas acções executivas colocadas pelo Caixa Leasing e Factoring - Instituição Financeira de Crédito, cada uma superior a um milhão de euros.

De acordo com o registo predial do Centro POAO, em Abril de 2014, foi feita uma hipoteca voluntária a favor da Caixa Geral de Depósitos (CGD) no âmbito da abertura de um crédito de quatro milhões de euros. E a 21 de Outubro de 2015, foi registada mais uma hipoteca voluntária, no âmbito de crédito também concedido pela CGD no valor de cinco milhões de euros.

O PÚBLICO contactou por email Choi Man Hin que não respondeu. Já o seu sócio Changlong Zhu remeteu para a advogada que representa a POAO II, Glória Ribeiro, que alegou não poder responder.