Torne-se perito

João Soares fora das listas do PS às legislativas

Ex-ministro da Cultura anunciou saída no Facebook, assumindo-se “firmemente apostado nos combates políticos do PS”.

João Soares deixa o Parlamento este ano
Foto
João Soares deixa o Parlamento este ano LUSA/AMPE ROGÉRIO

Foi o próprio João Soares, militante do PS desde 1973, quem anunciou, este sábado, que deixará o seu lugar de deputado na Assembleia da República a partir de Outubro. “Não integrarei as listas do PS para as próximas eleições legislativas”, escreveu o ex-ministro da Cultura de António Costa no Facebook.

João Soares explica que a decisão foi pessoal, não resulta de “nenhum cansaço especial" nem de “vontade de reforma" e que ainda antes das europeias foi comunicada ao secretário-geral do PS (António Costa), ao presidente do partido (Carlos César) e à secretária-geral adjunta (Ana Catarina Mendes). Também não resulta de afastamento dos seus ideais de sempre. “Pelo contrário, continuo firmemente apostado nos combates políticos do PS. Determinado a participar activamente na próxima campanha eleitoral legislativa”, assume.

Desiludam-se os que pensam que esta opção tem a ver com alguma diferença de fundo relativamente à “geringonça”. João Soares escreve que continua “empenhado no apoio firme ao Governo” que apoiou, apoia e apoiará. “Também à solução política de esquerda que lhe deu solidez parlamentar e tempero político. Apoiante antes mesmo de ter existido, espero possa continuar no futuro.”

Aos 69 anos, João Soares já foi presidente da Câmara de Lisboa entre 1995 e 2002 (em coligação com o PCP); candidato à Câmara de Sintra em 2005 (perdeu para Fernando Seara); ocupou a pasta de ministro da Cultura durante pouco mais de quatro meses, saindo após um episódio que provocou a primeira remodelação ministerial no Governo de António Costa; esteve no Parlamento Europeu em 1994 e 1995; e foi deputado na quinta legislatura e entre a nona e a décima terceira. De 1999 a 2002, foi ainda membro do Conselho de Estado.

“Deixo o Parlamento no final deste mandato com tranquilidade. A mesma com que há anos deixei o trabalho autárquico de muitos anos. Ou uma participação, mais reduzida no tempo, no Parlamento Europeu. Estarei empenhado nas frentes de combate onde julgar, ou julgarem, que posso ser útil. E for oportuno. Com a determinação, entusiasmo e alegria de sempre. E, felizmente, com boa saúde”, garante o ainda deputado para não deixar nada por esclarecer.

“Vou continuar a servir, noutras frentes de luta. Com a mesma energia, e bom humor, de sempre. Espero que ainda por muitos anos”, conclui. 

Sugerir correcção