Mais de 170 golfinhos mortos na Florida por um ano de “maré vermelha”

Não são apenas os golfinhos roaz-corvineiro que são vítimas do excesso de algas nas águas do Golfo do México. O peixe-boi, as tartarugas e várias espécies de peixes também estão a morrer.

,Parque Natural da Arrábida
Foto
Os golfinhos encontrados mortos na Florida são da mesma espécie existente no estuário do Sado bruno lisita (arquivo)

Mais de 170 golfinhos roaz-corvineiro morreram na costa oeste da Florida entre Julho de 2018 e Junho deste ano em consequência da “maré vermelha” de algas, divulgou a Administração Nacional dos Oceanos e da Atmosfera.

A morte de 174 golfinhos foi classificada de “evento de alta mortalidade” pela Administração Nacional dos Oceanos e da Atmosfera dos Estados Unidos, que assinalou que não são apenas os golfinhos roaz-corvineiro ou nariz-de-garrafa (a mesma espécie presente no estuário do Sado) que são vítimas das consequências do excesso de algas nas águas do Golfo do México.

O peixe-boi, as tartarugas e várias espécies de peixes estão a morrer pela concentração destas algas.

Em causa está a uma alga microscópica chamada “Karenia brevis” que produz uma toxina que pode afectar o sistema nervoso central de peixes, aves, mamíferos e outros animais.

Em altas concentrações, aquele organismo pode descolorar a água, que às vezes se torna vermelha, tonalidades de verde-claro ou escuro, ou castanho.