Foto

Quais serão as causas do futuro? Diz-nos o que te preocupa e vem falar connosco

Procuramos jovens que queiram juntar-se a nós para uma conversa a decorrer no início da segunda semana de Julho, na redacção do PÚBLICO, no Porto. Objectivo: descobrir as causas do futuro para uma série de trabalhos que aí vem.

Nos últimos meses já se saiu à rua pelo clima, já se fez greve pela igualdade de género, já se dormiu na rua por causa da falta de alojamento universitário, já se lutou pelo direito a habitação, já se fez barulho, que nunca é suficiente, por quem tem de atravessar o mar ou uma fronteira para ter um futuro.

Por diversas vezes se parou o país, ou o mundo, à boleia de professores, enfermeiros, motoristas ou coletes amarelos, de todas as pessoas a braços com as suas reivindicações. Contra a precariedade ou o despovoamento do interior, pelos direitos das pessoas com diversidade funcional ou LGBT, contra o racismo e a xenofobia, pela tolerância religiosa e os direitos dos animais. E agora, o que aí vem?

Para uma série de trabalhos que será publicada no P3 e no caderno especial P2 de Verão, queremos perceber quais serão as quatro grandes causas do futuro. O que é que te preocupa? O estado do planeta? O acesso à educação e à cultura? A precariedade? Os robots? O estigma em relação à saúde mental? A sociedade de consumo ou a falta de inclusão social? Daqui a uns anos estaremos a sair à rua pelo quê?

Procuramos jovens, algures entre os 18 e os trintas, que queiram juntar-se a nós para uma conversa a decorrer no início da segunda semana de Julho, na redacção do PÚBLICO, no Porto (data a acordar). De diferentes idades, origens, religiões ou formações. Envia até 1 de Julho um curto texto para [email protected] (no máximo de 500 caracteres) a dizer-nos quais é que, para ti, serão os grandes gritos de guerra dos próximos tempos e por que razão é que devemos falar deles e conhecer-te. Diz-nos o teu nome, a tua idade e onde vives (a viagem até cá é assegurada por nós).

Não poderão (infelizmente) vir todos, mas prometemos ler e responder a todos os contributos. No final, vamos escolher cinco pessoas para se juntarem a nós nesse encontro, que será filmado e servirá de base aos trabalhos que aí vêm.