Foto

Alemães cortam a cerveja à extrema-direita

Numa cidade alemã, um tribunal decretou a proibição do consumo e venda de álcool durante o fim-de-semana em que se realizava um festival de extrema-direita. Foram apreendidos 4400 litros de cerveja pelas autoridades.

Em Ostritz, no Leste da Alemanha, a polícia apreendeu 4400 litros de cerveja durante o fim-de-semana. O motivo? Um festival neo-nazi que se realizava na cidade que faz fronteira com a Polónia. A ordem foi dada por um tribunal de Dresden, de forma a minimizar a afluência de elementos de extrema-direita ao evento. Os habitantes da localidade, temendo que os fãs se dirigissem aos supermercados para comprar álcool, organizaram-se e compraram mais de 200 paletes de cerveja, esvaziando as prateleiras.

A par da restrição de consumo de bebidas alcoólicas no festival, cerca de 2000 moradores da região manifestaram-se ainda contra a extrema-direita alemã. George Salditt, um activista social de Ostritz disse ao tablóide germânico Bild que “o plano [de comprar a cerveja dos supermercados] foi desenvolvido com uma semana de antecedência”. “Queríamos secar os nazis. Pensámos que se se avizinhava uma proibição de consumo de álcool, teríamos de esvaziar as prateleiras do Penny (uma cadeia de supermercados alemã)”, acrescentou, citado pela BBC.

O diário Süddeutsche Zeitung deu conta de que compareceram ao festival entre 500 e 600 pessoas, enquanto na anterior edição estiveram presentes cerca de 1200 militantes da extrema-direita alemã. Para evitar desacatos durante o fim-de-semana em que se realizava o festival, foram mobilizados para o local cerca de 1400 polícias, incluindo agentes de outras partes do país.

Uma moradora explicou ao canal de televisão ZDF por que razão os neo-nazis não eram bem-vindos na cidade: “Para nós é importante transmitir a mensagem de que em Ostritz há pessoas que não toleram isto, que dizem ‘temos valores diferentes aqui’”. A mesma residente acrescentou que estavam a tentar “dar o exemplo” e que esse “não passa pela imagem de um festival de extrema-direita que domina a cobertura dos media”.

O tribunal de Dresden justificou a restrição ao consumo de álcool no festival com base no “carácter obviamente militarizado e agressivo do evento” e no facto de a presença de álcool poder contribuir para a existência de actos de violência.

Perto dali, Chemnitz, outra cidade no Leste do país, foi palco de grandes manifestações de extrema-direita no ano passado.