Primárias para as listas do PS vão ser debatidas a 27 de Junho

Daniel Adrião vai apresentar proposta para votação na Comissão Nacional que aprova os critérios das listas eleitorais.

António Costa
Foto
LUSA/RUI FARINHA

A realização de eleições primárias abertas à votação de todos os cidadãos para a escolha dos candidatos do PS às legislativas vai ser proposta por Daniel Adrião e votada na reunião da comissão nacional dos socialistas a 27 de Junho. A assembleia deste órgão máximo da direcção do PS foi convocada para que sejam aí estabelecidos os “critérios e metodologias para a elaboração das listas”.

A possibilidade de realização de primárias para a elaboração das listas eleitorais está nos estatutos eleitorais (artigo 68º) desde o último congresso que se realizou na Batalha em Maio de 2018. Esta metodologia pode ser proposta pelo secretariado ou por membros da comissão nacional.

Foi esse facto que levou Daniel Adrião, líder do grupo de 28 membros da comissão nacional eleitos no congresso da Batalha sob a moção Reinventar Portugal, de que foi primeiro subscritor, a escrever ao presidente do PS, Carlos César, pedindo que a deliberação sobre a realização de primárias fosse inscrita na ordem de trabalhos da reunião.

Na resposta, Carlos César adverte que “a vontade” de que se realizem primárias pode ser proposta durante a reunião da Comissão Nacional por “algum dos seus membros”, para que possa ser admitida “pela mesa e posterior submissão a votação do plenário”.

Recorde-se que em 2014, foi através de primárias por si previamente defendidas, que o actual secretário-geral, António Costa, venceu a primeira votação ao então líder do PS, António José Seguro. Seguiram-se então as eleições directas, em que só militantes do partido têm direito a votar, em que António Costa foi eleito secretário-geral do PS.

A realização de primárias para a escolha dos candidatos às legislativas foi defendida desde 2013, em petição, por vários dos apoiantes de António Costa, entre eles o actual presidente do partido, Carlos César.