Turistas encontram câmara escondida em alojamento local de Matosinhos

Turistas da Malásia encontraram uma câmara de filmar escondida numa tomada da casa de banho do apartamento alugado através da plataforma Booking.com.

Foto
DR

Três turistas da Malásia encontraram, esta quinta-feira, uma câmara escondida na casa de banho do apartamento em que estavam alojadas, em Leça do Balio. Contactada pelo PÚBLICO, a Polícia de Segurança Pública (PSP) confirmou a ocorrência e anunciou que vai emitir em breve um comunicado acerca da situação.

Em declarações por telemóvel ao PÚBLICO, uma das turistas explicou que, depois do banho, se apercebeu de “alguma coisa estranha” na tomada que se encontrava por cima do lavatório. Ao apontar a lanterna do telemóvel, Jean Chong reparou naquilo que “parecia uma câmara” e chamou as colegas, Rubee Woo, que partilhou a situação no Facebook, e Chloee Kwong.

Descarregaram uma aplicação para terem a certeza da existência de algum dispositivo: “Depois de descarregar a aplicação, aproximei o telemóvel da tomada e acendeu uma luz vermelha junto com a mensagem ‘câmara detectada'”, conta Jean. Tentaram contactar vários amigos para saberem como a desactivar, acabando por decidir chamar a polícia.

Os agentes da PSP abriram a tomada e encontraram a câmara instalada. Nas imagens partilhadas da câmara já desmontada, é possível ver uma etiqueta com dados de acesso (ID de utilizador e palavras-passe) para o dispositivo de vídeo.

PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
PÚBLICO -
DR
Fotogaleria
DR

As turistas revelaram também que, para além de pedirem os passaportes, os agentes da PSP que se deslocaram ao local não fizeram perguntas sobre a situação. “Só nos ajudaram a fazer as malas e deslocá-las para o carro”, descreveram as turistas. Durante todo o processo, “o dono nunca olhou nem dirigiu palavra” às malaias que, ao abandonarem o apartamento, viram o proprietário e os oficiais da polícia “a conversarem com o dono enquanto fumavam”.

Por não saberem se tinha sido feita uma queixa formal, foram participar a ocorrência na Esquadra de Turismo da PSP, no centro do Porto, perto das 2h da madrugada. “Sentimos que [a PSP] não ia agir contra o proprietário, porque falaram animadamente com ele durante algum tempo. Não queríamos ser importunadas e decidimos fazer a participação na Esquadra de Turismo da PSP, que nos disse que o processo ia demorar algum tempo”, refere a publicação no Facebook.

Ao PÚBLICO, as turistas acrescentaram que estão à procura de um advogado para garantirem que são tomadas medidas. “Ainda não sei o que aconteceu ao vídeo nem quem tem acesso a ele”, justifica Jean. As malaias, com idades entre os 30 e os 32 anos, estavam em Portugal desde segunda-feira, dia 17, e tinham chegado ao apartamento em Leça do Balio na quinta-feira, dia 19, no mesmo dia em que descobriram a câmara.

O dono do alojamento admitiu ao PÚBLICO “não saber” como a câmara apareceu instalada na tomada e adiantou estar “a tentar descobrir” a origem do incidente. O proprietário é engenheiro electrotécnico de profissão, segundo o perfil no serviço de reservas Airbnb onde o apartamento também estava disponível. Entretanto, já foi removido por incumprimento dos regulamentos da empresa, mantendo-se disponível no Booking.com, utilizado pelas três turistas.

Actualização às 17h16: o apartamento foi arrendado através da plataforma Booking.com e não da Airbnb, como foi inicialmente escrito.

Actualização às 19:15: acrescentados nomes e declarações das turistas e actualização do estado das contas do proprietário nos serviços de reserva de alojamento local.