Opinião

Por uma revolução fiscal, ou para que servem 542 benefícios fiscais?

Os autores do estudo apontam para uma perda de receita entre 2% e 6% do PIB. Ou seja, um Sistema Nacional de Saúde. Com valores destes, não se brinca.

O governo apresentou na segunda-feira o resultado do estudo “Os Benefícios Fiscais em Portugal”, elaborado por uma equipa de economistas e juristas coordenada por Francisca Guedes de Oliveira, professora na Universidade Católica. Tive o gosto de participar no painel que discutiu a apresentação pública do estudo, a convite do gabinete do Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes.