Criança e avós morrem em colisão de carro com comboio em Barcelos

As vítimas mortais são dois idosos e uma criança (que deverá ser a neta). A circulação na Linha do Minho esteve interrompida, mas já foi entretanto retomada.

Carro
Foto
Viatura envolvida no acidente DR

Um carro foi abalroado na manhã desta quarta-feira por um comboio na freguesia de Carapeços, em Barcelos (distrito de Braga), e causou a morte a três pessoas, confirmou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga ao PÚBLICO. Dentro da viatura seguia uma criança (entre os dez e os 14 anos) e dois idosos, que deverão ser os avós da criança, diz o INEM ao PÚBLICO.

O homem tinha 71 anos e a mulher 65, disse ao PÚBLICO o adjunto de comando dos bombeiros de Barcelos, José Simões, perto do local do acidente. Segundo os documentos de identificação, as vítimas moravam em Viana do Castelo, confirmou a mesma fonte.

O alerta foi dado às 9h48 através do 112. A circulação na Linha do Minho esteve cortada, mas já foi entretanto reposta. Os corpos foram transportados, por volta das 11h45, para o Instituto de Medicina Legal de Braga. Em comunicado, a Infra-estruturas de Portugal garante que o sistema de sinalização na passagem de nível estava “em pleno funcionamento no momento do acidente”.

PÚBLICO -
Foto
Circulação da linha foi retomada por volta das 12h DR

Fonte da GNR informou que a sinalização da passagem de nível automatizada terá sido desrespeitada, provocando o acidente. Ao PÚBLICO, fonte da mesma força policial garantiu que os pais da menina estavam a receber apoio psicológico por parte da equipa do INEM. “Ao que parece”, o carro terá tentado ziguezaguear a sinalização na passagem de nível, diz José Simões ao PÚBLICO.

Carina Rego tem um salão de estética a poucos metros do apeadeiro onde se deu o acidente. Apesar da curta distância, garante que não ouviu o embate entre o comboio e o carro: “O comboio ia a apitar muito. Nem deu para ouvir o choque. Depois saí e vi o carro, que ficou completamente destruído”, conta. “As cancelas estavam fechadas, sim. Um rapaz diz que viu o carro a passar a uns 80 km/h”, diz ainda.

“Por um metro safava-se”, lamentava outra pessoa, que tinha visto os destroços do acidente que se espalhavam por dezenas de metros. O comboio atingiu a parte traseira do veículo, arrastando-o contra um muro. As primeiras pessoas dos serviços de socorro que chegaram ao local encontraram as vítimas já sem vida, encarceradas no interior do veículo.

Maria Alzira vive ao lado do local onde aconteceu o acidente, mas uma ida ao cabeleireiro poupou-a de ver o acidente. “O carro estava num estado lastimável. A parte da esquerda estava toda para a direita”, explica. Outro morador que assistiu ao acidente garantiu que o condutor da viatura não respeitou a sinalização, apesar do apelo de um dos condutores que esperava pela passagem do comboio.

Para o local foram mobilizados 23 operacionais apoiados por nove veículos, incluindo os bombeiros de Barcelos, os de Barcelinhos, a GNR e duas viaturas médica de emergência e reanimação (VMER).