Carris vai comprar mais cem autocarros

Anúncio foi feito na assembleia municipal pelo presidente da câmara, Fernando Medina. Os partidos pediram-lhe que pressione o Governo para fazer investimentos noutros meios de transporte.

Lisboa
Foto
Miguel Manso

A Carris vai comprar mais cem autocarros, anunciou esta terça-feira o presidente da câmara de Lisboa. Na assembleia municipal, Fernando Medina especificou que um concurso para a compra de 70 novos veículos será lançado em Junho e que um outro, para 30 autocarros eléctricos, será lançado em Setembro.

Com este anúncio sobe para 350 o número de autocarros encomendados pela transportadora lisboeta desde que passou para as mãos da câmara, em 2017. Da primeira encomenda, de 250 veículos, 93 já circulam pelas ruas da cidade. “Nós teremos, em 2021, uma frota de 45 autocarros eléctricos num total de 720. E metade da frota terá menos de três anos de idade”, congratulou-se Medina, referindo que este aumento da frota vai significar uma redução das emissões de gases poluentes.

Na apresentação da sua informação escrita trimestral, o presidente da câmara voltou ao tema da mobilidade para gabar a criação do passe único Navegante, no princípio de Abril. “O passe único é um sucesso e a sua redução tarifária uma revolução na mobilidade”, declarou Medina. “No mês de Maio de 2019 foram pedidos 60 mil passes, quando tinham sido pedidos 25 mil em Maio de 2018”, disse, acrescentando que, também em Maio, foram vendidos quase mais 200 mil títulos do que no mesmo mês do ano passado.

Quanto à Carris, o autarca também elogiou a sua municipalização, referindo que “o número de passageiros transportados aumentou de 11 milhões para quase 13 milhões”. A empresa lançou já onze carreiras de bairro e reforçou a oferta em vários percursos, mas em muitos locais as queixas dos utentes mantêm-se.

Na resposta ao anúncio de Medina, vários partidos elogiaram a melhoria da oferta da Carris mas lembraram que outros transportes também precisam de investimento. “Não nos podemos ficar com os sucessos caseiros. As coisas correram bem, mas para que elas continuem a correr bem é preciso que haja pressão junto do Governo para que isto não fique em banho-maria por mais uns anos”, disse Fernando Correia, do PCP. Já Ricardo Moreira, do BE, defendeu que “a redução dos passes só pode ser uma boa medida se houver reforço das infra-estruturas”.

À direita, o independente Rodrigo Mello Gonçalves (ex-PSD) contestou “a propaganda” do presidente da câmara: “A última grande renovação da frota da Carris data de há 15 anos. Foi feita em 2003, por um Governo PSD/CDS, com a aquisição de 408 autocarros. Os tais que os senhores gostam muito de dizer que não são amigos dos transportes públicos continuam a ser aqueles que, nos últimos 20 anos, mais apostaram na renovação da frota da Carris.”

“De três em três meses, o PS ora anuncia autocarros novos, ora anuncia eléctricos novos lá para 2022, ora anuncia motoristas novos”, criticou Luís Newton, do PSD.