Nós, Cidadãos! convida Aliança para coligação, mas partido de Santana ainda está “a examinar”

Mendo Castro Henriques defende a apresentação de uma força ao centro — nem de esquerda, identificada com o Governo, nem da oposição de direita, identificada com o PSD e o CDS — que corresponda à linha orientadora do Nós, Cidadãos!

Pedro Santana Lopes (Aliança)
Foto
Pedro Santana Lopes (Aliança) MIGUEL MANSO

O partido Nós, Cidadãos! desafiou a Aliança para uma coligação eleitoral “ao centro”, anunciou nesta segunda-feira o presidente, Mendo Castro Henriques. Porém, fonte oficial da força política liderada por Santana Lopes esclareceu que ainda está “a examinar”.

Mendo Henriques transmitiu à Lusa que “o Nós Cidadãos!, considerando que deve haver uma união de partidos emergentes” que se reúnam “em nome de objectivos que permitam a melhoria da qualidade de vida dos portugueses, demarcando-se da alternância de poder entre PS e PSD, aprovou o princípio de coligação eleitoral com o partido Aliança e outras forças”.

Esta proposta foi aprovada no sábado “em reunião da Comissão Política Nacional” do partido, que decorreu em Espinho.

Em declarações à agência Lusa, Mendo Castro Henriques disse mesmo que o partido, por convite seu, “vai iniciar com o Aliança uma coligação”, para a qual “já há o acordo das comissões políticas”. Além da Aliança, o Nós, Cidadãos! “vai estender esse convite a um conjunto de partidos emergentes”.

“Trata-se de apresentar uma força ao centro, nem de esquerda, identificada com o Governo, nem da oposição de direita, identificada com o PSD e o CDS, e que corresponde à linha orientadora do Nós, Cidadãos!”, afirmou Mendo Castro Henriques.

O partido pretende constituir uma plataforma para “promover a democracia e os direitos humanos”, “reformar o Estado, aproximando-o dos cidadãos, mediante reformas políticas, económicas e sociais”, “combater a morosidade da justiça e a corrupção instalada em detentores de cargos públicos e seus parceiros de corrupção na banca e nas empresas” e também “reformar o sistema eleitoral para que o voto seja cada vez mais uma escolha de pessoas e não de partidos”, ou seja, “círculos uninominais”.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Aliança indicou que houve uma “reunião na semana passada por iniciativa do presidente do Nós, Cidadãos!”, e nesse encontro Mendo Henriques fez a proposta a Pedro Santana Lopes. “Essa proposta foi colocada na reunião da comissão executiva [da Aliança] e está a ser examinada”, acrescentou. “Por agora não temos mais nada a dizer” sobre o assunto, rematou.

A Aliança candidata-se pela primeira vez a umas legislativas, depois da primeira prova nas europeias de 26 de Maio, nas quais conseguiu 61.753 votos, de acordo com informação da secretaria-geral do Ministério da Administração Interna.

Por seu turno, o Nós, Cidadãos! já se tinha candidatado às eleições legislativas de 2015, ano em que recolheu 21.439 votos. Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu, o partido conseguiu 34.672 votos.

Já por várias vezes, o antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes defendeu a formação de coligações pré-eleitorais à direita.

Sugerir correcção