Festival Mimo leva a Amarante Salif Keita, Seun Kuti e Mayra Andrade

Festival nas margens do Tâmega conta com mais de 50 actividades gratuitas no programa, de 26 a 28 de Julho.

Foto
Paulo Pimenta

A quarta edição do Festival Mimo, que se realizará de 26 a 28 de Julho, vai levar a Amarante mais de 20 concertos, com artistas de oito países. À semelhança dos anos anteriores, os concertos do festival luso-brasileiro – assim como as outras actividades – vão ser gratuitos.

Lu Araújo, responsável pelo Mimo, afirma ao PÚBLICO que o festival tem “evoluído a cada ano” e que as expectativas para esta edição são “as melhores”. O festival, que na edição de 2018 contou com mais de 70 mil pessoas, volta a ter uma programação “muito diversificada”, com concertos de artistas do Brasil, de Cabo Verde, de Itália, do Mali, da Mongólia, da Nigéria e da Palestina, muitos deles com “concertos exclusivos” no Mimo. Para além, claro, de nomes portugueses.

Os brasileiros Rubel, Bixiga 70 e o rapper Criolo, o grupo de hip-hop palestiniano 47Soul e a cabo-verdiana Mayra Andrade são alguns dos nomes que vão passar pelo palco principal do Mimo, juntando-se a portugueses como Samuel Úria ou os Miramar, um projecto conjunto de Peixe e Frankie Chavez. No palco principal, vai tocar ainda o vencedor do Prémio Mimo da Música.

Lu Araújo destaca a “forte presença da música negra”, com nomes como Seun Kuti, filho de Fela Kuti, que assinou em 2018 um disco muito elogiado pela crítica, e o maliano Salif Keita. A responsável pelo festival destaca também a boa participação de música portuguesa “diferenciadora” e as muitas mulheres no cartaz.

Além dos concertos no Parque Ribeirinho, o programa do festival abrange outras actividades em vários locais do centro de Amarante, como o Museu Amadeo Souza-Cardoso, a Igreja de São Pedro, a Igreja de São Gonçalo, o Cinema Teixeira de Pascoaes e Centro Cultural Amarante.

Os claustros do Museu Amadeo de Sousa-Cardoso e o Cinema Teixeira de Pascoaes vão receber o Festival Mimo do Cinema, que este ano tem como fio condutor a música de diversos géneros e conta com várias estreias em território nacional. No dia 27 de Julho, o museu vai também estrear a mostra Abstração. Arte Partilhada, uma exposição com 30 obras de 18 autores nacionais, poderá ser visitada até 27 de Outubro, numa iniciativa que “diferencia” o Mimo de Amarante com o do Brasil, onde não há exposição de arte, segundo Lu Araújo.

A “Chuva de Poesia” desta edição do Mimo vai “homenagear o amor nas suas diversas formas”, oferecendo ao público “pancadas de poesia” com versos de Chico Buarque, Jorge de Sena, Mário Sá-Carneiro, José Saramago, Sophia de Mello Breyner Andresen, Pablo Neruda, Florbela Espanca, Vinícius de Moraes, Gregório de Matos, Bocage, Fernando Pessoa, entre outros, num total de 30 poemas.

O programa do evento fica completo com o Fórum de Ideias, no Museu Amadeo de Souza-Cardoso, e com o Programa Educativo, no Centro Cultural Amarante, com vários workshops dados por vários artistas presentes no festival. As inscrições para estas actividades abriram esta segunda-feira no site do Mimo e estão disponíveis até dia 15 de Julho.

Nas manhãs dos dias de festival, haverá também um Roteiro Cultural que dá a conhecer o património religioso de Amarante. Todas as actividades são gratuitas.