Benfica vence Sporting e é o novo campeão de futsal

“Águias” impediram os “leões” de juntarem um inédito tetracampeonato na modalidade ao título europeu, vencendo na “negra” por 4-3.

Fotogaleria
LUSA/MIGUEL A. LOPES
O jogo entre Benfica e Sporting foi muito equilibrado
Fotogaleria
O jogo entre Benfica e Sporting foi muito equilibrado LUSA/MIGUEL A. LOPES
Momento do jogo entre Benfica e Sporting
Fotogaleria
Momento do jogo entre Benfica e Sporting LUSA/MIGUEL A. LOPES
Momento do jogo entre Benfica e Sporting
Fotogaleria
Momento do jogo entre Benfica e Sporting LUSA/MIGUEL A. LOPES
Momento do jogo entre Benfica e Sporting
Fotogaleria
Momento do jogo entre Benfica e Sporting LUSA/MIGUEL A. LOPES
Momento do jogo entre Benfica e Sporting
Fotogaleria
Momento do jogo entre Benfica e Sporting LUSA/MIGUEL A. LOPES

Foi o Benfica a subir ao palanque e a festejar a conquista do campeonato nacional de futsal. Foi a oitava vez dos “encarnados”, que assim interromperam uma série de três títulos consecutivos ganhos pelo Sporting. Neste domingo, no seu pavilhão e no quinto e derradeiro jogo da final, os benfiquistas venceram o Sporting por 4-3, consumando a terceira vitória dos “encarnados” numa decisão que precisou que se disputassem os cinco jogos.

Num Pavilhão da Luz fervoroso dentro e fora da quadra, Raul Campos foi um dos elementos em destaque na equipa orientada por Joel Rocha, ao marcar três golos, depois de não ter sido opção nos últimos jogos das “águias”.

Debaixo de um apoio bem audível, os “encarnados” comprovaram o ascendente que tiveram nos primeiros momentos da partida com dois golos de Raul Campos num intervalo de oito segundos, dentro do oitavo minuto da primeira parte.

O ala brasileiro fez o primeiro com um remate de primeira e o segundo ao picar a bola sobre Guitta depois de uma recuperação de Chaguinha.

O treinador do Sporting, Nuno Dias, pediu uma pausa técnica logo a seguir ao 2-0. Os “leões” não estavam bem, mas as palavras do técnico “leonino” surtiram efeito e a equipa reduziu o marcador aos 9’, com Cardinal a rematar à meia volta depois de um passe longo de Deo.

Empate durou pouco

O primeiro golo do Sporting animou os “verde-e-brancos” que chegaram ao empate no seu melhor momento da partida, através de um livre frontal convertido por Leo Jaraguá, aos 13’.

Só que os “leões” nem tiveram tempo para saborear o regresso à igualdade, já que no minuto seguinte Bruno Coelho recolocou os “encarnados” na frente de marcador e, logo depois, Raul Campos assinaria um hat-trick (15’), pondo o Benfica a vencer por 4-2.

Ainda antes do intervalo, Rocha voltava a dar ânimo aos “leões”, marcando o 4-3, a dois minutos do fim da primeira parte, após mais uma bola parada, que acabou com um toque de calcanhar do jogador sportinguista.

Os segundos vinte minutos tiveram ainda menos interrupções. A primeira falta da segunda parte foi marcada apenas aos 29’, contra o Benfica. Os adeptos “encarnados” iam entoando cânticos, enquanto o Sporting apostou em Alex Merlim para ser o segundo avançado, num “cinco para quatro” que não deu em mais golos para os “leões”, mas em muita ansiedade em todo o pavilhão que, do lado do Benfica, gritou vitória depois de um remate de Cavinato ao poste a sete segundos do fim.

No final do encontro que encerrou a época de futsal, Joel Rocha emocionou-se na conferência de imprensa e admitiu ter cumprido o “sonho de menino” que era ser campeão nacional em casa.

Sporting lembra conquistas

O técnico “encarnado” considerou o Benfica a equipa mais forte durante o campeonato. Quanto ao jogo, o treinador benfiquista enalteceu o facto de a equipa não ter reagido mal quando o Sporting empatou, relembrando o jogo da “negra” da época passada, que sorriu ao Sporting nos penáltis depois de os “encarnados” terem estado a vencer por 2-0.

Já Nuno Dias deu os parabéns ao Benfica por ter sido “mais eficaz e feliz”. “Não é por terminar desta forma que esta equipa não deixa de ser de campeões. Foi uma época dura e longa, mas com vários objectivos alcançados”, disse o técnico do futsal “leonino”, que relembrou as conquistas da Supertaça, Taça de Portugal e Liga dos Campeões.

Para a próxima época, ambos os técnicos não deixaram — à sua maneira — pistas sobre o futuro. “Estamos todos a precisar de férias”, disse Nuno Dias. Joel Rocha, por seu lado, comentou: “Com mais de 700 dias a tentar reconquistar o título, não quero ainda pensar na próxima temporada.”