Ípsilon

Política Cultural

Três milhões de euros para o São Carlos que não pacificam os trabalhadores (nem salvam a ópera que ficou por estrear)

Os funcionários do Opart cumprem este domingo mais um dia de greve. Face ao anúncio-surpresa, feito na sexta-feira pela tutela, de uma verba para obras no teatro, estranham que não seja possível atender a uma reivindicação laboral que custaria ao Estado apenas “60 mil euros”.