Crítica

Lizzo parte a loiça toda

Uma voz poderosa, energia e auto-estima bem lá em cima, soul-funk traçado a rap, R&B, gospel contemporâneo: eis Lizzo, com Cuz I Love You.

Lizzo enaltece o amor por si própria e o seu corpo fora dos padrões de beleza, a sua cor de pele e a sua sexualidade
Foto
Lizzo enaltece o amor por si própria e o seu corpo fora dos padrões de beleza, a sua cor de pele e a sua sexualidade Luke Gilford

O concerto de Lizzo tinha tudo para ser uma das boas surpresas do Nos Primavera Sound, não tivesse sido cancelado um mês depois de o cartaz ter sido anunciado — para o seu lugar entrou a banda de indie-rock americana Built to Spill, uma escolha que parece ter sido feita para acalmar os ânimos revoltados da gente mimada e limitada das guitarras. Com Lizzo, o cenário ia ser bem diferente. Afinal, onde é que já se viu alguém a dançar twerk enquanto toca flauta irrepreensivelmente?