Facebook quer pagar para saber mais sobre como os utilizadores usam outras aplicações

Nova aplicação Study está inserida num programa de estudo de mercado do Facebook. Os utilizadores recebem compensações financeiras para autorizarem a recolha de dados sobre a utilização de outras aplicações.

Foto
Reuters/DADO RUVIC

O Facebook lançou na terça-feira, dia 11, uma nova aplicação que recolhe informação dos seus utilizadores sobre a utilização de smartphones – e paga-lhes para isso. Através da Study, em empresa fica com acesso aos dados de utilização de outras aplicações instaladas nos dispositivos dos usuários, com o objectivo de “perceber que apps usam e como as usam”, de acordo com o site do novo produto da empresa.

Depois de, no início do ano, ter estado envolvido numa polémica sobre recolha de dados de menores, a troco de dinheiro, com uma aplicação que tinha acesso até a conteúdo encriptado dos utilizadores, o Facebook apresentou o novo projecto como sendo mais “transparente” e menos intrusivo. Por causa da revelação do site TechCrunch, o Facebook encerrou o programa de recolha de dados Project Atlas e anunciou pouco tempo depois que ia descontinuar outra aplicação com fins semelhantes, a Onavo Protect.

A Study vai ter acesso à localização, dispositivo e tipo de rede do utilizador e monitorizará as apps instaladas, o tempo de utilização das mesmas, o nome das aplicações e das funcionalidades usadas. O Facebook garante que não vai aceder a dados como credenciais pessoais, palavras-passe, informações de pagamentos ou conteúdo como mensagens e imagens dos participantes no estudo.

Numa primeira fase, a aplicação vai estar disponível nos Estados Unidos da América e na Índia, e vai ter acesso restrito – o Facebook vai apresentar anúncios, a utilizadores da própria rede social e de outros produtos da empresa, para a participação num estudo de mercado a troco de uma compensação monetária. Quem abrir a publicidade vai ter a possibilidade de se registar no programa através do site da Applause, uma empresa de desenvolvimento de software parceira do Facebook.

Confirmada a idade (os participantes têm de ter mais de 18 anos) e depois de aceder ou criar a conta Paypal necessária para receber os pagamentos, o utilizador tem de descarregar a aplicação Study. Os valores da compensação que o Facebook vai pagar aos participantes não foram anunciados.

O comunicado da empresa informa ainda que, durante o estudo, a Study vai relembrar “periodicamente” os utilizadores da recolha de informação, e reforça que vai gerir os dados recolhidos com muita “transparência e responsabilidade” para manter os utilizadores “seguros”.