Portugal garante apuramento para o Euro 2020

Vitória lusa na Roménia acaba com jejum de 14 anos, quando falta disputar uma jornada no Grupo 6 para decidir a liderança com a França.

Foto
Momento do jogo entre a Roménia e Portugal dr

Depois de uma primeira tentativa falhada, em França, Portugal garantiu esta quinta-feira o apuramento para o Campeonato da Europa de andebol de 2020, que se disputará na Áustria, Noruega e Suécia - pela primeira vez com a participação de 24 selecções - ao derrotar (19-24) a Roménia, em Bucareste, em jogo da quinta e penúltima jornada do Grupo 6, em que a selecção nacional assumiu o comando à condição, à frente da França, campeã do mundo em 2017 e terceira classificada em 2019.

Afastado dos grandes eventos desde 2006, a Portugal bastava um ponto para garantir de imediato uma vaga no próximo Europeu, cenário que até se apresentou difícil durante quase meia hora... para mudar por completo na segunda metade.

Portugal acabaria mesmo por impor-se em definitivo e transformar o jogo do próximo domingo, em Matosinhos (17h), frente à Lituânia, na festa de consagração.

Já com Alfredo Quintana de regresso à baliza, o seleccionador nacional, Paulo Jorge Pereira, deixou de fora Gustavo Capdeville e Jorge Silva, apostando em Pedro Seabra e Carlos Martins - chamados para os lugares dos lesionados Rui Silva e António Areia - para os 16 deste jogo com os romenos.

Com uma entrada pouco conseguida, Portugal acabou por sofrer até ao intervalo (12-11) quase tantos golos quantos tinha consentido no arranque da qualificação, no primeiro embate, em Outubro de 2018, em Santo Tirso, que os portugueses venceram por 21-13.

Muito por culpa do central Simicu, a impor-se com quatro golos nos primeiros 30 minutos - aproveitando o menor acerto do eixo defensivo luso - Portugal não conseguiu contrariar a entrada dos romenos, acabando por contagiar um ataque inconsistente e que ainda encontrou um Popescu inspirado na baliza da selecção local.

Portugal acabaria, contudo, após um primeiro desconto de tempo e da exclusão de Simicu, por equilibrar o jogo no primeiro tempo, aproveitando o facto de a Roménia ter estado mais de dez minutos sem marcar, para aproximar-se e reduzir uma diferença que atingiu os quatro golos. 

No reatamento, apesar da inferioridade numérica da selecção portuguesa e de uma terceira exclusão lusa dois minutos depois de reatado o jogo, a Roménia deu sinais de quebra e acabou por permitir a igualdade a 13 golos, ficando mesmo à mercê da equipa de Paulo Jorge Pereira, que foi desperdiçando sucessivas oportunidades de liderar pela primeira vez o encontro, o que logrou a cerca de 20 minutos do fim, com Branquinho a passar Portugal para a frente do marcador (14-15).

Até final, Portugal melhorou a agressividade defensiva e acentuou a superioridade sobre a formação local, vencendo sem surpresa por cinco golos de diferença.