Trump elogia encontro com o “Príncipe das Baleias” da Grã-Bretanha

Como um “h” pode fazer diferença, em inglês, entre “Gales” e “Baleias”. O presidente norte-americano viria a corrigir a mão.

,Dia D
Foto
Donald e Melania Trump durante a visita a Londres com Isabel II e Carlos LUSA/ANDY RAIN

Donald Trump, nesta quinta-feira, elogiou a sua própria diplomacia com a realeza britânica e líderes estrangeiros, mas, erroneamente, titulou o príncipe Carlos, herdeiro do trono britânico, como “Prince of Whales” (príncipe das baleias) e não “Prince of Wales” (príncipe de Gales).

PÚBLICO -
Foto

“Encontro-me e converso com ‘governos estrangeiros’ todos os dias. Acabei de me reunir com a Rainha da Inglaterra (Reino Unido), o Príncipe das Baleias, o primeiro-ministro do Reino Unido, o primeiro-ministro da Irlanda, o Presidente da França e o Presidente da República da Polónia”, escreveu Trump na rede social Twitter.

O presidente norte-americano viria, mais tarde, a corrigir o título de Carlos pelo correcto. O primeiro na linha de sucessão ao trono britânico, filho mais velho da rainha Isabel II, detém o título de príncipe de Gales, tradicionalmente concedido ao herdeiro do trono. O País de Gales é um dos quatro países que compõem o Reino Unido, a par de Inglaterra, Escócia e Irlanda do Norte.

Carlos conheceu Trump na semana passada em Londres, com quem tomou chá, como parte da visita do presidente dos EUA à Grã-Bretanha. Estava prevista uma conversa de um quarto de hora entre os dois, mas “foi uma hora e meia e ele falou muito – ele gosta muito de mudanças climáticas e eu acho isso óptimo”, contou Trump, na altura, à imprensa.

“Ele quer garantir que as futuras gerações têm um clima que seja bom em vez de um desastre, e eu concordo”, disse ainda o presidente norte-americano, o mesmo que duvida que a Terra esteja mais quente devido à actividade humana, uma questão para a qual Charles tem sido um defensor de uma resposta global.

“Acredito que há uma mudança no clima, e acho que isso muda os dois lados [quente e frio]. Não se esqueçam que era chamado de ‘aquecimento global’, e esse termo não estava a funcionar, então passaram a chamar-lhe ‘mudança climática’. Agora, é chamado de ‘clima extremo’, porque com [esta expressão de] não há como errar’, acrescentou Trump.