Soldado americano reencontra namorada francesa 75 anos depois do Dia D

Em Junho de 1944, o soldado norte-americano Kara Troy Robbins desembarcou na Normandia, em França, onde conheceu uma jovem francesa pela qual se apaixonou.

,Soldado
Fotogaleria
Imagens de arquivo do soldado Kara Troy Robbins e Jeannine Gayane France 2
Fotogaleria
O reencontro de Kara Troy Robbins e Jeannine Gayane France 2
Fotogaleria
O antigo soldado americano Kara Troy Robbins France 2

É uma história de amor com 75 anos, o tempo que o soldado americano Kara Troy Robbins esperou para reencontrar a sua paixão francesa, Jeannine Gayane.

Tudo começou em plena II Guerra Mundial, quando o então jovem norte-americano Kara Troy Robbins desembarcou na Normandia, em Junho de 1944, juntamente com milhares de soldados aliados. Esse dia, o Dia D, ficaria para a História pelo início da ofensiva final das forças aliadas sobre a Alemanha nazi, mas também ficaria inscrito na história pessoal de Robbins e Gayane.

Na aldeia de Briey, próxima do local de desembarque, onde permaneceu durante algumas semanas, Robbins conheceu Jeannine, então com 18 anos. O casal apaixonou-se mas a guerra, tal como aconteceu em tantos outros casos, separou-os. Passados dois meses, o soldado norte-americano teve de regressar à frente de batalha e os namorados viram-se obrigados a despedir-se.

A separação não foi fácil. “Quando ele subiu para o camião chorei muito, fiquei muito triste”, recorda Jeannine Gayane, citada pelo diário El Español.

Mas Gayane não perdeu a esperança e começou a aprender inglês, para o caso de reencontrar Robbins quando a guerra terminasse. O que não aconteceu. “Disse-lhe que talvez regressasse e a levasse comigo, mas não foi assim”, lembra o soldado.

A vida continuou e cada um seguiu o seu caminho. Robbins casou e formou família nos Estados Unidos, enquanto Gayane permaneceu em França. Os dois não voltaram a entrar em contacto.

“Quando te casas, já não podes fazer isso”, explicou Kara Troy Robbins ao canal televisivo France 2, justificando o porquê de Jeannine nunca ter recebido uma carta.

75 anos do Dia D

Agora, passado 75 anos do desembarque na Normandia, o casal voltou a encontrar-se. Foram as celebrações do Dia D que levaram os repórteres à casa de Kara Troy Robbins, em busca de recordações e histórias dos veteranos da guerra.

Entre recortes de jornais e memórias, estava uma fotografia da jovem Jeannine. Foi então que o antigo soldado contou a história daquele romance, o que levou os repórteres do canal televisivo France 2 a procurarem a mulher no retrato.

PÚBLICO -
Foto
O reencontro de Kara Troy Robbins e Jeannine Gayane France 2

Grande foi a surpresa de Robbins quando o informaram que, ao contrário do que o antigo soldado pensava, Jeannine ainda estava viva. Agora com 92 anos, viúva e com cinco filhos, Jeannine Gayane vive em Montigny-les-Metz, na região de Lorena, no Nordeste da França.

Setenta e cinco anos depois, o antigo soldado norte-americano, também ele viúvo, voltou a atravessar o Atlântico e os dois reencontraram-se, por algumas horas, em França (um reencontro que foi documentado pelo canal francês).

Entre beijos e promessas de amor, Robbins acabou por partir outra vez para os Estados Unidos, mas não sem prometer primeiro​ que se voltarão a encontrar, como aconteceu no Dia D.