Continental investe 100 milhões para ampliar produção em Portugal

Empresa alemã cria mais de 100 novos postos de trabalho em Famalicão, na produção de pneus especiais pesados.

Foto
Fernando Veludo/Arquivo

Depois dos pneus agrícolas, os pneus para veículos de movimentação de terras e para aplicações portuárias. Os alemães da Continental investiram 820 milhões desde que chegaram a Portugal, em 1990, e voltam a carregar no pedal do investimento no país, desta vez para expandir a capacidade produtiva na unidade de Lousado, concelho de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga. Serão 100 milhões de euros para fazer crescer a divisão de pneus, com novas instalações e mais de 100 novos postos de trabalho. O braço português deste grupo empregava 2150 pessoas no fim do último ano fiscal.

Foi em 2017 que o grupo alemão inaugurou instalações para a produção de pneus agrícolas. Em 2018, produziu 11 mil unidades deste produto, mas a estratégia de crescimento assente em pneus especiais pesados não fica por aqui. Segundo anúncio feito nesta terça-feira, um dos cinco maiores exportadores portugueses vira-se agora para a produção de pneus para veículos de movimentação de terras e para aplicações portuárias, de jantes superiores a 24 polegadas de diâmetro.

São duas linhas de produtos que integram “áreas-chave de crescimento do mercado de pneus especiais pesados”, afirma um dos responsáveis da empresa, Christian Kötz. “Esta nova linha de produção reflecte claramente o nosso compromisso com estes segmentos e todo o negócio de pneus fora da estrada”, salienta este administrador executivo do grupo, responsável da divisão de pneus.

O presidente da administração da Continental Mabor – uma unidade que contribui para a posição de destaque de Famalicão enquanto concelho mais exportador da região Norte –, destaca que “este novo investimento reflecte, uma vez mais, a confiança do accionista na equipa de Lousado”. Pedro Carreira diz que o apoio do Estado português foi “crucial”. E mostra-se esperançado numa melhoria nas acessibilidades à fábrica de Lousado, um problema recorrente que, diz Pedro Carreira, poderá ser ultrapassado “em breve” com uma nova travessia sobre o Rio Ave para facilitar o escoamento dos novos produtos.

A nave industrial que vai albergar a produção daqueles pneus pesados "estará equipada com os mais modernos equipamentos" para a produção de “pneus radiais com elevados padrões ergonómicos”. “Quando estiverem a funcionar em pleno, estas novas linhas irão entregar três novos modelos de pneus para veículos de movimentação de terras e três novos modelos para os portos”, adianta Christian Kötz, sublinhando que o grupo investiu 150 milhões de euros “nos últimos anos”, para aumentar a produção de pneus ligeiros de alta performance e o arranque da produção de pneus agrícolas em Famalicão.

Também o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Lousado está a ser ampliado e será utilizado para testes de desempenho e de qualidade, afirma o grupo, em comunicado.