13-0: goleada histórica no arranque das americanas no Mundial feminino

Selecção feminina dos Estados Unidos, actual campeã do mundo em título, goleou a Tailândia por 13-0. Seleccionadora norte-americana defende que respeitar o adversário é dar o melhor.

Cada um dos 13 golos dos EUA à Tailândia tiveram festejo
Fotogaleria
Cada um dos 13 golos dos EUA à Tailândia tiveram festejo Christian Hartmann/Reuters
Jogadoras norte-americanas entraram no Mundial à goleada
Fotogaleria
Jogadoras norte-americanas entraram no Mundial à goleada Christian Hartmann/Reuters

A selecção feminina dos Estados Unidos entrou no campeonato do Mundo com uma goleada nunca antes vista em Mundiais. No Stade Auguste-Delaune, em Reims, na França, as norte-americanas venceram a Tailândia por 13-0, em jogo a contar para o grupo F da competição, e bateram dois recordes no futebol feminino: mais golos num jogo e maior vantagem numa partida do campeonato do Mundo feminino.

Os golos começaram cedo, aos 12’, por Alex Morgan (que marcou mais quatro golos aos 53’, 74’, 81’ e 87') e só acabaram aos 90+2’ com Carli Lloyd. Entre estes tentos, a baliza tailandesa recebeu golos de Rose Lavelle (20’ e 56'), Lindsey Horan (32'), Samantha Mewis (50’ e 54'), Megan Rapinoe (79') e Mallory Pugh (85'). Dez golos foram marcados só na segunda parte.

PÚBLICO -
Foto
O marcador após a goleada dos EUA à Tailândia no Mundial feminino DR

Alex Morgan, a goleadora de serviço das norte-americanas nesta partida, disse em conferência que se sente no “topo” da sua forma, mas também disse esperar que este Mundial “com mais espectadores e jogos de qualidade” convença outras federações e a FIFA a “financiar o futebol feminino”. “Foi importante começar com esta goleada na fase de grupos. Cada golo importa”.

“Chegar a esta fase de um campeonato do mundo representa que esta equipa [Tailândia] é fantástica. Para nós, respeitar o adversário é dar o nosso melhor”, esclareceu a seleccionadora norte-americana Jillian Ellis. “Isto ainda é o primeiro jogo”.

“Aceitamos o resultado. Não fomos boas o suficiente e elas [EUA] foram excelentes em tudo. Vamos melhorar com os nossos erros, sabemos onde estamos. Temos de melhorar em todos os aspectos”, disse a seleccionadora da Tailândia, Nuengrutai Srathongvian. “Sabemos que somos pequenos e temos um número limitado de atletas, mas vamos melhorar. Temos mais dois jogos. Agradeço que as jogadoras norte-americanas tenham encorajado as nossas futebolistas que estavam desapontadas”, contou.

Os Estados Unidos são a selecção feminina campeã do mundo em título, depois da conquista em 2015 e de também vencer em 1991 e 1995. No grupo F do campeonato do Mundo de futebol feminino, as norte-americanas, crónicas candidatas a vencer o título, irão defrontar o Chile e a Suécia.