Neymar depõe sobre divulgação de imagens de mulher que o acusa de violação

Para se defender das acusações de violação, Neymar publicou conversas e fotografias íntimas trocadas com a alegada vítima. Mas, no Brasil, é crime partilhar ou divulgar imagens ou vídeos de conteúdo sexual por qualquer meio sem o consentimento da outra pessoa.

Neymar
Foto
Neymar Reuters/Lucas Landau

O futebolista brasileiro Neymar prestou na quinta-feira depoimentos numa esquadra do Rio de Janeiro, no âmbito de uma investigação sobre a partilha de imagens íntimas da mulher que o acusa de violação.

De acordo com o portal G1 do grupo Globo, Neymar foi ouvido durante quase duras horas e não respondeu a perguntas dos jornalistas à saída, mas agradeceu as manifestações de apoio que tem recebido.

“Quero agradecer aos fãs, amigos, obrigado pelo carinho. Só quero agradecer o carinho de todos”, afirmou o jogador do Paris Saint-Germain.

A advogada Maira Fernandes, que representa o avançado brasileiro, afirmou que o jogador “está calmo” e “prestou todos os esclarecimentos” às autoridades, e voltou a insistir na inocência do futebolista, acusado de violação pela modelo Najila Trindade.

O astro da selecção brasileira, de 27 anos, chegou à esquadra de cadeira de rodas, depois de se ter lesionado na quarta-feira à noite, num jogo em que o Brasil venceu o Qatar, na capital brasileira, uma lesão que o deixa de fora da Copa América.

Na sexta-feira, Neymar foi acusado de ter violado uma mulher, que apresentou uma queixa-crime na polícia de São Paulo. Segundo a queixa, o incidente ocorreu em 15 de Maio, às 20h20, num hotel de Paris, cidade onde Neymar representa o Paris Saint-Germain.

O jogador foi chamado a depor depois de ter publicado, no sábado, um vídeo em que tornou públicas as conversas que manteve por escrito – entre Março e Maio – com a alegada vítima de violação, bem como fotos íntimas da mesma, em reacção à denúncia de violação que a mulher fez na sexta-feira numa esquadra de polícia em São Paulo.

“Foi uma armadilha e acabei por cair. (...) A partir de agora vou expor toda a conversação que tive com a rapariga, todos os nossos momentos, que são íntimos, mas é necessário expô-los para provar que realmente não aconteceu nada de mais”, afirmou o avançado do Paris Saint-Germain na conta oficial no Instagram.

No Brasil é crime oferecer, partilhar, transmitir, vender, distribuir, publicar ou divulgar imagens ou vídeos de conteúdo sexual por qualquer meio sem o consentimento da vítima, com a pena prevista a estender-se entre um e cinco anos de prisão, tempo que pode aumentar caso essa acção tenho por base motivos de vingança ou humilhação.