Entrevista

“A preocupação com as armas autónomas é imediata”

Stuart Russell, professor na Universidade de Berkeley, tem-se dedicado a alertar para os impactos negativos da inteligência artificial: das armas autónomas aos algoritmos do Facebook, passando pela possibilidade de máquinas superinteligentes.

Foto
Stuart Russell esteve numa conferência em Lisboa Daniel Rocha

O vídeo foi visto milhões de vezes na Internet. Começa com uma típica apresentação de um produto de tecnologia. No palco, um executivo enumera as vantagens do minúsculo drone que voa ao seu lado: é rápido, ágil e é capaz de evitar balas de snippers; tem tecnologia de reconhecimento facial, que lhe permite identificar e abater um alvo; e faz tudo sozinho, sem intervenção humana. Na cena seguinte, o Senado dos EUA é atacado, mas só há vítimas de um partido. Mais à frente, milhares estudantes em várias universidades morrem. Não foi um ataque em massa: cada um dos alvos foi escolhido com base na actividade em redes sociais. No final deste curto filme, Stuart Russell, um académico veterano na área da inteligência artificial, deixa um aviso: “Temos uma oportunidade para prevenir aquilo que acabaram de ver. Mas a janela que temos para agir está a fechar-se rapidamente.”