Comércio de cocaína faz-se nas redes sociais e através de “call centers

Relatório europeu é apresentado esta quinta-feira. Peritos falam de “métodos de distribuição inovadores”. Em Portugal, não há ainda notícia da existência de “call centers” com estafetas que garantem a entrega de cocaína, mas o comércio da substância através das redes sociais já é uma realidade.

Foto
Apreeensões de cocaína estão a atingir níveis recorde, também em Portugal Bruno Lisita (arquivo)

A Europa está a ser palco de um fenómeno de “uberização” do comércio de cocaína. Apesar de ilegal, a cocaína continua a ser a droga estimulante mais usada na União Europeia (UE) e o seu comércio já se faz através de “call centers” com direito a estafetas que garantem entregas “rápidas e flexíveis”.