GNR tem mais de cem carros novos parados há um mês

Ao todo, são 226 viaturas: 123 delas chegaram nesta semana e as restantes chegaram já no início de Maio à Escola da Guarda, em Queluz, onde ficaram paradas desde então. O Ministério da Administração Interna diz que serão entregues na próxima semana.

Exemplo de um carro da GNR
Foto
Exemplo de um carro da GNR Hugo Santos/ARQUIVO

Mais de 100 carros novos e prontos a usar pela GNR estão parados há um mês, nas instalações da Escola da Guarda, em Queluz, por razões ainda não devidamente esclarecidas, avança o Jornal de Notícias (JN) nesta quinta-feira. O Ministério da Administração Interna (MAI) explica que as viaturas estão a ser avaliadas para “garantir a conformidade com o caderno de encargos” e assegura que deverão começar a circular na quarta-feira da próxima semana.

O MAI diz ainda que os carros só serão entregues depois da instalação do sistema de comunicação e de outros equipamentos necessários à sua actividade operacional.

Ao todo, acrescenta o JN, há 226 viaturas novas que se encontram paradas: a maioria está estampada com as cores da GNR, mas há também carros descaracterizados para serem utilizados nos núcleos de investigação. O MAI explica que 105 veículos chegaram nesta segunda-feira, 18 na terça e que as restantes chegaram no início de Maio.

Ouvida pelo JN, a Associação Nacional de Sargentos da Guarda (ANSG) afirma que a situação é “lamentável” (sobretudo por utilizar um espaço dedicado à formação de militares num parque de estacionamento) e receia que o atraso na entrega dos carros aos postos territoriais — muitos deles com falta de viaturas para serviços básicos, como patrulhas — esteja relacionado com a preparação de um “número” político, em ano de eleições.

“Esperamos que a demora na entrega das viaturas não se deva a qualquer agenda e cerimonial com pompa e circunstância — prossegue o presidente da ANSG, José Lopes —, condicionando a sua entrega imediata, tendo em conta tamanho défice de viaturas nos postos territoriais”.