Quando uma minoria quer ser o cimento que une uma comunidade

Esta é a história de como uma minoria islâmica numa freguesia de Sintra está a unir uma comunidade. “Neste momento, o nosso sonho é construir aquele centro comunitário que pode servir toda a comunidade, independentemente da religião e da etnia”.

Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Carro
Fotogaleria
Fotogaleria

 O dia começou cedo para Mamadou Bah. A primeira oração da manhã estava marcada para as 5h15, mas antes disso era preciso preparar tudo na mesquita da Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês e Mem-Martins, em Sintra. Afinal, era um dia especial. Na terça-feira celebrava-se o Eid al-Fitr — o fim do Ramadão e do jejum de 30 dias, por isso, era dia de festa.