Fridão: Declarações de Matos Fernandes são trunfo da EDP para o tribunal

O ministro do Ambiente afirmou no Parlamento, em Janeiro, que a não construção da barragem obrigaria a “um pagamento superior a 200 milhões de euros” à eléctrica, mas agora entende que não há lugar a restituição. Empresa admite recorrer a tribunal arbitral para recuperar o dinheiro.

António Mexia disse aos deputados da comissão de Ambiente que é provável que o caso Fridão se resolva de forma rápida num tribunal arbitral
Foto
António Mexia disse aos deputados da comissão de Ambiente que é provável que o caso Fridão se resolva de forma rápida num tribunal arbitral LUSA/ANDRÉ KOSTERS

Das duas últimas vezes que foi ao Parlamento falar sobre Fridão, em Abril e Maio, o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, defendeu que a barragem não vai avançar porque a EDP não tem interesse no projecto.