São-tomenses convocam protesto a 10 de Junho contra demora na emissão de vistos para Portugal

De acordo com o embaixador de Portugal em São Tomé e Príncipe há “cerca de 1300 pedidos de visto pendentes” e o tempo de espera para se conseguir uma marcação para pedir o documento ronda os seis meses.

Protesto está marcado para 10 de Junho
Foto
Protesto está marcado para 10 de Junho Nelson Garrido

Um grupo de cidadãos são-tomenses convocou para o próximo dia 10 de Junho uma concentração pacífica em frente à embaixada portuguesa para denunciar a demora, burocracia e custo da emissão de vistos para Portugal.

“Um grupo de cidadãos são-tomenses, motivados pela forma como a secção consular da embaixada de Portugal em São Tomé e Príncipe tem tratado os nossos concidadãos, tomou liberdade de convocar uma concentração diante do edifício da Embaixada de Portugal, onde funciona a secção consular, para o dia 10 de Junho, Dia de Portugal, de Camões e de todas as Comunidades Portuguesas”, anunciaram os promotores do protesto.

Em carta aberta, divulgada nesta quarta-feira pelo jornal online Telá Nón, e enviada às missões diplomáticas acreditadas e ao Ministério dos Negócios Estrangeiros de São Tomé e Príncipe, os organizadores da iniciativa denunciam práticas que consideram infringir “o normal tratamento diplomático que se esperava da Embaixada de Portugal”.

Demora e burocracia para marcação da data para recepção de documentos e decisão sobre o pedido de visto e o não reembolso do pagamento do processo de visto, incluindo documentação e seguro de viagem, em caso de indeferimento, são algumas das queixas dos são-tomenses.

O embaixador de Portugal em São Tomé e Príncipe, Luís Gaspar da Silva, disse, recentemente, à agência Lusa que Portugal vai instalar um Centro Comum de Vistos no país para responder ao “enorme acréscimo” de pedidos de emissão de vistos para os países do espaço Schengen registado no último ano e meio.

À semelhança do que existe na cidade da Praia, em Cabo Verde, o centro irá emitir vistos de curta duração para todos os Estados Schengen.

O Centro Comum de Vistos deverá começar a funcionar no próximo ano.

Segundo o diplomata, a secção consular da embaixada portuguesa na capital são-tomense tem, actualmente, “cerca de 1300 pedidos de visto pendentes” e o tempo de espera para se conseguir uma marcação para pedir o documento ronda os seis meses.