Junta de Freguesia de Santo António anuncia encerramento nocturno da única esquadra da PSP da freguesia

Em resposta, a PSP já garantiu que a esquadra situada no Largo do Rato, em Lisboa, vai manter o atendimento ao público em permanência, salientando que não irá encerrar em qualquer período.

,Polícia
Foto
Fabio Augusto (arquivo)

A Junta de Freguesia de Santo António, em Lisboa, anunciou esta quarta-feira que a única esquadra da PSP daquele território vai passar a encerrar entre as 00h00 e as 8h00, medida que condenam, disponibilizando-se para ajudar a encontrar uma solução.

“Apesar de esta freguesia ter cerca de 12 mil moradores, recebemos diariamente mais de 2 milhões de pessoas, a todas as horas do dia”, argumenta-se no comunicado da Junta de Freguesia de Santo António, em que se sublinha que aquela é “das freguesias de Lisboa com mais comércio e mais turismo e com uma população idosa significativa”.

O encerramento da 22.ª esquadra da PSP, situada no Rato, é visto pela Junta de Freguesia, liderada por Vasco Morgado (PSD), como uma “errada e irresponsável medida”, que atribui “única e exclusivamente” a “uma decisão de índole ideológico-financeira”.

A junta manifesta “total disponibilidade” para ajudar a encontrar “uma solução de manter uma ou mais esquadras da PSP na Freguesia de Santo António”, referindo que a esquadra que tem 56 agentes e um carro-patrulha, dispõe de “instalações bastante degradadas”.

“Tendo já percorrido com o Comando da PSP locais na freguesia disponíveis para os receber, como é o caso da Praça da Alegria e a Rua Luciano Cordeiro, onde existem espaço livres, a freguesia está disponível para ajudar”, lê-se no comunicado.

Em resposta, a PSP já garantiu que a esquadra em questão vai manter o atendimento ao público em permanência. “A PSP esclarece que a esquadra em questão não irá encerrar em qualquer período, mantendo o atendimento ao público em permanência”, refere a PSP em comunicado.

Encerramento de esquadras sucessivo

O encerramento de esquadras tem-se sucedido na freguesia, lamenta a junta, apontando o fecho de esquadras na rua das Taipas, na Praça da Alegria e em Santa Marta.

A junta apelou ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que, “ao invés deste encerramento de atendimento ao público da esquadra do Rato, reforce o território da freguesia com mais agentes e mais carros de patrulhamento” e “elabore e execute um projecto de melhoria das instalações da referida esquadra para que os agentes possam desempenhar as suas funções com a merecida e devida dignidade”.

“A esquadra da PSP do Rato permite um maior policiamento de proximidade e um sentimento de maior segurança nos cidadãos, o encerramento ao público no período nocturno representa um retrocesso naquela que deveria ser uma política de segurança pública”, argumenta-se no comunicado, que sublinha o “sentimento de insegurança que representa para os cidadãos, comerciantes que trabalham na freguesia e para os turistas”.