IP extingue equipas de manutenção ferroviária e subcontrata privados

Comissão de Trabalhadores diz que empresa perde know how e baixa o limiar da segurança ferroviária. Empresa fala em “novos modelos de organização e gestão” e vai continuar a pagar o salário a 33 trabalhadores afastados da manutenção.

Foto
Paulo Pimenta

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai retirar 33 trabalhadores afectos à manutenção de via e substituí-los por contratos de prestação de serviços a realizar com empresas privadas. A medida implica a extinção dos designados “centros de manutenção ferroviária” de Alfarelos, Régua, Nine e Esmoriz.