Madonna volta a perder recurso para evitar venda de carta enviada a Tupac Shakur

Um tribunal de Nova Iorque abriu caminho para a concretização do leilão, alegando que Madonna não poderia reclamar contra Darlene Lutz.

,Festival Eurovisão da Canção
Foto
LUSA/MAURI RATILAINEN

Madonna perdeu mais uma batalha judicial para manter alguns pertences íntimos, incluindo roupa interior de cetim, uma escova ainda com cabelos seus e uma carta de separação de um ex-namorado, o falecido rapper Tupac Shakur. O objectivo era que fossem a leilão.

Um tribunal de Nova Iorque abriu caminho para a concretização do leilão, alegando que Madonna não poderia reclamar contra Darlene Lutz, sua ex-amiga e consultora de arte, ou o site de leilões online GottaHaveRockandRoll.com, no qual Lutz consignou os itens para venda.

No entender do tribunal, o acordo que a cantora fez com a sua ex-colaboradora, em 2014, era “muito amplo”. Portanto, Lutz era “livre de fazer o que quisesse com os objectos que ficaram na sua posse”.

Madonna, 60 anos, afirmou que não sabia, até à data do leilão que Lutz, que trabalhou para a cantora de 1981 a 2003, possuía mais de 20 itens seus. Agora, não se sabe ainda se a artista vai recorrer da decisão, uma vez que o fez já anteriormente.