Curtas de Vila do Conde mostra Radu Jude, Billy Woodberry ou James Franco

A 27.ª edição do festival decorre de 6 a 14 de Julho com 56 filmes de “vozes singulares” como a de Ben Rivers ou Ludovic Houplain nas secções de competição internacional ou experimental.

,Baixo
Foto
"Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You", de Brandon Cronenberg DR

O Festival de Cinema Curtas Vila do Conde anunciou esta terça-feira os títulos que completam as suas secções de competição internacional e experimental. São filmes de Radu Jude, Billy Woodberry, Ludovic Houplain, James Franco e Pedro Gómez Millán ou Ben Rivers, exemplos de “vozes singulares” que procuram responder ao desafio desta 27.ª edição – “reescrever acontecimentos, redescobrir os arquivos da memória, reclamar heranças e redesenhar velhas simbologias”.

O Curtas Vila do Conde decorre entre 6 e 14 de Julho e segundo a nota divulgada esta terça-feira está em destaque, por exemplo, Billy Woodberry – um dos “fundadores do movimento L.A. Rebellion, um colectivo de cineastas afro-americanos” –, que traz A Story from Africa, “um retrato da bravura e da resistência de um povo até à sua queda” e que é também uma co-produção com Portugal que teve o seu primeiro momento no último Festival de Berlim.

Outras obras a concurso: The Marshal’s Two Executions, do romeno Radu Jude, que oferece dois olhares sobre a execução do general Ion Antonescu durante a II Guerra, ou o regresso de Ludovic Houplain, que já tinha levado ao Curtas o seu Logorama, vencedor de um Óscar e que agora mostrará My Generation, bem como o “olhar cirúrgico” do turco Gürcan Keltek aplicado a Gulyaban, uma história de uma vidente vítima de abusos.

São 35 filmes em competição na secção internacional e 21 na secção experimental, e entre eles podem ainda ser vistos It Has to Be Lived Once and Dreamed Twice, de Rainer Kohlberger, ou de Le Discours d’Acceptation Glorieux de Nicolas Chauvin, uma curta do colaborador frequente de Gabriel Abrantes, Benjamin Crotty, ou de Birth of a Poet de James Franco e Pedro Gómez Millán, bem como The Whole Shebang, de Ken Jacobs, de Trees Down Here, de Ben Rivers, ou Cinematograph de Bill Morrison.

O festival apresentará ainda a instalação visual sobre o “Brexit” Suspended Island, de Jane Wilson e Louise Wilson, o argentino Shatki, de Martín Rejtman, ou Please Speak Continuously and Describe Your Experiences as They Come to You, de Brandon Cronenberg. A lista completa de filmes em competição pode ser vista aqui.

O Curtas deste ano vai ter na sua programação um foco em Carlos Conceição, estreando em Portugal o seu filme Serpentário, bem como uma secção Stereo, que se faz de filmes concerto, encabeçada por Thurston Moore e os Heliocentrics, além uma retrospectiva integral do trabalho do americano Todd Solondz